Show celebra o aniversário de Roberto Carlos, que completa 78 anos

Os cantores paraenses Márcia Yamada e Léo Meneses cantam os sucessos do Rei no sábado, 20

Enize Vidigal

Nesta Sexta-Feira Santa, Roberto Carlos completa 78 anos de idade. Em respeito à tradição católica, este ano ele não vai comemorar a data com show como de costume. No ano passado, o Rei fez a emocionante celebração em Belém, no palco do Hangar Centro de Convenções na presença de um grande público, com direito a bolo, parabéns e distribuição de rosas aos fãs.

Mesmo sem a presença de Roberto, a data não vai passar em branco na capital paraense, este ano. Os intérpretes Márcia Yamada e Léo Meneses farão um show especial com o repertório exclusivo de Roberto Carlos dos anos 60 ao 90, acompanhados do Maestro Tinoco Costa ao piano, no sábado, 20, Barzin, a partir das 21 horas.

"Vamos cantar músicas do repertório que mais representa Roberto Carlos, do desde o ieieiê até as canções mais românticas e sensuais, como "Fera Ferida", "Como Dois e Dois", "Emoções", "Eu Sou Terrível", "Splish Splash", "Se Você Pensa" e "As Curvas da Estrada de Santos", detalha Márcia Yamada. Ela e Léo Meneses apresentaram esse show anteriormente, em dezembro. "Todo brasileiro tem uma relação com o Roberto Carlos. E a minha relação com ele começou desde a barriga da minha mãe. E do Léo é a mesma coisa, a mãe dele acordava ouvindo a obra do Roberto. Essa ideia toda (de fazer o show com músicas do Rei) começou porque a gente reúne muito para cantar informalmente e as pessoas começaram a pedir (pra fazer esse show)", detalha a cantora. 

Léo Meneses revela que o Rei lhe transporrta para uma fase especial da vida. "Quando todos os dias acordava ouvindo Robreto Carlos no rádio e o cheiro de café da mãe preenchia a casa. E as alegrias e tristezas das diversas fases da obra dele embalaram vários risos e lágrimas minhas".

Trajetória do Rei

Nascido em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, Roberto Carlos Braga é o quarto filho do relojoeiro Robertino Braga com a costureira Laura Moreira Braga. Aos nove anos de idade, a mãe levou-o para se apresentar na Rádio Cachoeiro de Itapemirim, onde cantou "Amor y más amor", sucesso na época na voz de Fernando Borel. O talento do garoto conquistou o público local. Em 1957, mudou-se para o Rio, onde fundou a banda The Sputiniks com Tim Maia, Erasmo Carlos e outros, mas o grupo foi desfeito após desentendimento com Tim e ele iniciou a carreira solo cantando samba-canção e bossa nova.

A década de 60 foi dedicada ao rock emergente do movimento da Jovem Guarda, quando Roberto firmou forte parceria com Wanderléa e o próprio Erasmo, época em que o trio invadiu as telas do cinema, reforçando a febre nacional. Com o fim da Jovem Guarda, nos anos 70, Roberto enveredou pelo estilo romântico gravando vários sucessos autorais e também de outros artistas, como Caetano Veloso.

Nos anos 80, fez excursões internacionais, gravou discos em inglês, espanhol, italiano e francês e se engajou em campanhas sociais. Após a morte da esposa, Maria Rita, no final dos anos 90, ele retomou a carreira. Na década de 2010, ele lançou pela primeira vez um álbum sertanejo.

Serviço:

Show "Roberto 60's, 70's e 80's" com Márcia Yamada e Léo Meneses
Dia: Sábado, 20
Hora: 21hs
Local: Barzin (Tv. Generalíssimo Deodoro, 1722, Nazaré)
Mesa a R$ 80
Informações e vendas (91) 98171-8292 e 98707-7277

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!