Dia Nacional do Samba: conheça a origem e veja clássicos para celebrar a data

Confira algumas canções que marcam até hoje o dia dos apaixonados por este ritmo musical

Juliana Maia
fonte

O Dia Nacional do Samba é celebrado nesta sexta-feira (2) para homenagear e perpetuar um dos grandes ritmos musicais brasileiros. Este gênero musical, que nasceu no século XX, é ouvido e admirado por muitos amantes da música brasileira, seja com o samba raiz, samba-enredo, samba-canção, samba de partido alto ou pagode, variações do famoso ritmo musical que se popularizou em 1930.

VEJA MAIS

image Samba da Feira do Açaí comemora aniversário de dois anos no Dia do Samba
A programação começa às 16h, com a transmissão do jogo da seleção brasileira.

image Paulinho da Viola completa 80 anos com a elegância do príncipe do samba
Cantor e compositor é um dos maiores do samba brasileiro e herdeiro musical de Cartola

image Viola Davis conhece a Cidade do Samba e é recebida por integrantes da Mangueira
A atriz vencedora do Oscar conheceu o espaço e posou ao lado dos integrantes da Escola de Samba

Como surgiu o Dia Nacional do Samba?

A data surgiu para relembrar o dia em que Ary Barroso, um dos grandes artistas do ritmo musical, visitou o estado da Bahia pela primeira vez. A iniciativa foi dada pelo vereador baiano Luís Monteiro da Costa, que reconheceu a importância do samba e do cantor, intérprete de “Aquarela do Brasil”. 

Em 2005, o samba foi reconhecido como patrimônio cultural imaterial da cultura brasileira. Embora a data não seja oficializada em um feriado nacional, para celebrar e levar o ritmo cada vez mais longe, muitos artistas e apreciadores da música aproveitam para homenagear cantores pioneiros no gênero musical e cantar em rodas de samba.

Veja 12 clássicos para celebrar a data

Não deixe o samba morrer - Alcione

Meu lugar - Arlindo Cruz

Vou festejar - Beth Carvalho

Quando a gira girou - Zeca Pagodinho

Preciso me encontrar - Cartola

Foi um rio que passou em minha vida - Paulinho da Viola

Sonho meu - dona Ivone Lara

Retalhos de cetim - Benito di Paula

Disritmia - Martinho da Vila

Aí foi que o barraco desabou - Jorge Aragão

Deixa a vida me levar - Zeca Pagodinho

O mar serenou - Clara Nunes

(*Juliana Maia, estagiária sob supervisão da editora de OLiberal.com, Vanessa Pinheiro)

Música
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA