Depois de 'Guitarrada do Fim do Mundo', Eduardo Barbosa prepara álbum em duo com João Belém

Artista investe em uma pegada mais pop no novo trabalho

Caio Oliveira

O que acontece depois que o mundo acaba? Eduardo Barbosa se prepara para responder a essa pergunta com sua potente guitarra, trabalhando em um novo álbum que será lançado ainda no primeiro trimestre de 2021, em parceria musical com João Belém que vem logo após ele lançar, no ano passado, o single “Guitarrada do Fim do Mundo”. Em sua carreira, Eduardo segue investindo em um estilo contemporâneo do clássico ritmo paraense, misturando ritmos e influências modernas com o som tradicional da Amazônia para criar algo novo e transgressor.

Antes de acabar com o mundo com sua guitarrada no single lançado em outubro de 2020, o músico do Guamá havia estreado nas plataformas musicais de streaming em março do mesmo ano, com o single “Boiúna”, lançado pela coletânea do projeto MOA, iniciativa que apoia artistas estreantes que vieram da periferia. Seu segundo trabalho de estúdio veio meses depois, em uma música que reflete o momento que a humanidade vive.

“A ‘Guitarrada do Fim do Mundo’ traz uma perspectiva meio apocalíptica pra dentro da guitarrada. A arte do single, que foi feita pela Jasmina Costa - designer e ilustradora - envolve uma parte do imaginário paraense, amazônico: tem caruanas, referência aos moradores do fundo chegando à superfície, trazendo toda essa questão identitária, cultural, mas também, é uma alusão ao momento que a gente vive. Crise na saúde pública, com a pandemia do coronavírus, crise política, econômica, aumento da taxa de desemprego, o país passando pelas piores situações possíveis. É difícil manter aquela ‘vibe’ mais água de coco, praia, sombra, que tem a guitarrada tradicional, em um momento como esse”, explica o guitarreiro do armagedom. 

Nesse novo ano, após esse evento musical cataclísmico, Eduardo prepara um trabalho com uma pegada mais leve. “Esse álbum que vamos lançar é um projeto meu e do João Belém. Ele não é uma continuidade da Guitarrada do Fim do Mundo. Na verdade, é um trabalho independente dos meus singles e dos do João, que tem dois singles lançados. Ele traz uma guitarrada mais pop, no sentido de flertar com ritmos diferentes do usual - ritmos que, inclusive, estão em alta agora - e com a música eletrônica: o house, o eurodance, e a gente brinca com new wave dos anos 80 também. A ideia é essa, fazer um instrumental pop, ao mesmo tempo que ele é experimental por misturar essas várias referências. As músicas têm um formato estrutural bem mais curto, mais direto ao ponto”, explica.

Mesmo que difira de seu último trabalho, todas as canções do álbum do duo são conceituais, com uma linha de ligação entre as composições dele e as de Belém, formando uma narrativa instrumental - algo que, segundo Eduardo, não é muito comum na guitarrada. O músico explica que não pode ainda revelar muitos detalhes ainda, como por exemplo, o nome do álbum, mas adianta que ele deve ser lançado no final de fevereiro ou início de março, momento em que o público terá a oportunidade de conferir esse trabalho pós-apocalíptico.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA