Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Banda Catedral e Aninha Portal lançam singles sobre realidades da pandemia

Ainda, Priscila Castro, de Santarém, e a Banda LUI, de Marabá, lançam EPs nesta sexta-feira, 30.

Redação Integrada

A Banda Catedral acaba de lançar o novo single “Viva a Vida” nas plataformas digitais. Formada por Kim Mota (vocal, guitarra e violão) – que reside em Belém há seis anos -, Júlio Cézar (baixo e solos) e Guilherme Morgado (bateria), o grupo carioca de pop rock nacional traz uma mensagem direta em meio à pandemia pela Covid-19 sobre viver intensamente o presente e valorizar o que realmente importa, como a família. Confira também os lançamentos de Aninha Portal, Priscila Castro e da Banda LUI nesta sexta-feira, 30.

“Todo dia pode ser uma despedida, valorize a vida, tudo passa tão rápido, que seja bem vivida, ame seu par, seus filhos, pais em todos os momentos, solte a voz, dance, cante, sorria para o presente”, descreve Kim, destacando trechos da letra de “Viva a Vida” em entrevista exclusiva.

“As pessoas ficaram com impedimento de viver por medo de morrer em tempos pandêmicos. Mas essa imprevisibilidade sempre existiu. Não temos segurança em relação à vida”, constata.

A canção ganhou solo de violinos para trazer essa importante reflexão. Kim ressalta o potencial da música para tocar os corações do público: “A maior recompensa que tenho em 33 anos de estrada é saber que tudo que escrevi tem ajudado milhares de pessoas. Fico honrado de ser esse instrumento de Deus”.

Aninha Portal

Neste Dia Nacional da Mulher, Aninha Portal lança nas plataformas digitais o samba “Marias”, que alerta sobre o feminicídio. A música chega acompanhada de videoclipe e faz parte do novo EP da artista carioca, “Tempo de Realizar”, cujas faixas estão sendo lançadas gradativamente até o semestre que vem.

A inspiração para “Marias” veio da realidade do aumento da violência contra a mulher durante a pandemia no Brasil. “As (novas) estatísticas (de feminicídio) me impactaram profundamente. Me vi na obrigação, como mulher, de fazer alguma coisa. A gente tem que meter a colher, sim”, afirma Aninha em entrevista exclusiva.

Curiosamente, a faixa foi composta por homens: Vagner Almeida, Marcio Alexandre e Marcelinho Moreira. “Quando eu recebi essa música não pensei duas vezes em gravar. Ela é o meu grito, a minha mensagem de indignação”.

Aninha aposta no poder de conscientização da música: “A música atinge lugares inimagináveis. O clipe vem corroborar com a letra da faixa e passar a mensagem de sororidade, de força e incentivo, que a mulher não tenha medo de correr atrás dos seus sonhos e nem de denunciar qualquer tipo de abuso”.

Priscila Castro

Vanessa Barros- Divulgação

A cantora Priscila Castro, de Santarém, no Baixo Amazonas, lança o EP “A Voz do Rio” às 20 horas, nas plataformas digitais. Ao longo de sete faixas, a artista traça a narrativa musical sobre a força feminina e temas ambientais e políticos regionais. “Cantar a Amazônia é, sobretudo, resistência”, destaca a artista.

A faixa-título (Paulinho Barreto) trata dos problemas causados pelas barragens no Rio Tapajós. Já a canção “Não me provoque” (Ive Greice, Jana Figarella e Natalia Green) destaca a luta feminista por igualdade e respeito. E “Mulheres te Benzem” (Nilton Moda e Wander de Andrade) se reporta às benzedeiras que curam o “quebranto” das crianças nos recantos da Amazônia.

O EP tem as participações especiais de Alessandra Munduruku, Ádria Góes, Jana Figarella e Banda Warilou. “Neste álbum, aposto na arte regional conectada com outras sonoridades e vivências universais, em um disco dançante que enfatiza nossos ritmos, destacando o brega, o merengue, as guitarradas e o carimbó”, descreve. O projeto foi contemplado pela lei de incentivo Aldir Blanc.

Banda LUI

(Bruna Soares- Divulgação)

A Banda LUI, de Marabá, no Sudeste do Pará, lança o álbum de estreia “Dimittas” acompanhado de videoclipe, à meia-noite, nas plataformas digitais. O projeto mistura referências do rock do início do milênio.

Assista aqui.

O LUI é um duo formado por Letícia Portela e Mário Serrano, que vem despontando na música paraense como representantes do movimento “emocore”, marcado por letras existencialistas e musicalidade emotiva. Em 2020, LUI lançou os singles “Linear”, “Nó”, “Sina” e “Duas Cidades”, lançados em 2020, que caíram no gosto do público.

No videoclipe da faixa-título “buscamos retratar, nele, as ideias de desapego de sentimentos ruins que são abordadas na letra da música”, descreve Letícia. O álbum foi contemplado pela Lei Aldir Blanc e teve a produção da Psica Produções.

Música
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MÚSICA

MAIS LIDAS EM CULTURA