Médico paraense foi consultor do filme ‘Depois do Universo’ sucesso global da Netflix

O reumatologista João Alho foi convidado para ser responsável por fazer com o lúpus fosse retartado sem estereótipos na produção cinematográfica

Amanda Martins

O filme nacional “Depois do Universo”, lançado no último dia 27 de outubro,  já é considerado um verdadeiro sucesso após atingir o Top 10 do canal de streaming Netflix em mais de 40 países antes de completar um mês de exibição. Além de receber o título do quarto filme mais assistido de língua não-inglesa da plataforma, trazendo grande reconhecimento às produções brasileiros, também teve como um dos consultores médicos o  reumatologista João Alho, paraense natural de Santarém, no oeste do Estado,  que orientou a equipe sobre o lúpus, doença da personagem principal da trama, Nina, interpretada pela cantora Giulia Be.

Assista ao trailer:

João Alho contou que recebeu o convite do amigo e médico Gerson Salvador para ser um dos profissionais da saúde a ajudar a construir a personagem Nina. O paraense teve como papel fundamental apontar de forma fidedigna como seria a relação dela com a doença e com o seu tratamento. 

Para o reumatologista, o “chamado” para ser um dos consultores veio pela grande experiência com as pessoas que vivem com esse problema. 

“Tive formação  no centro com maior volume na américa latina - e um dos maiores do mundo-  em Lúpus, que é o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), e pela atuação em defesa das pessoas com lúpus e de outras doenças autoimunes na sociedade e na internet”, afirmou João Alho. Além dele, o filme também contou com a consultoria de outros especialistas, como Cícero Querido. 

Lúpus é uma doença crônica autoimune que exige tratamento correto e acompanhamento constante de especialistas. Muito embora não haja cura, com o tratamento adequado é possível controlar os sintomas e diminuir as crises.  Por isso, durante a preparação para o filme, o médico paraense fez com que outras mulheres diagnosticadas com a doença conversassem com o elenco e a produção, fazendo com que todos pudessem conhecer mais a fundo a complexidade da doença em cada ser humano.

O médico revela que teve esse cuidado especial para que o lúpus não fosse generalizado.  Isso porque, costuma acompanhar séries e filmes que abordam o tema da medicina, e “em geral não gosta” do que vê, para não repetir o mesmo errado tratou de mostrar a verdadeira faceta da doença. 

“Mais do 90% das produções são toscas, chatas e totalmente desconectadas da realidade dos profissionais e dos pacientes. Raramente consigo tolerar mais que dois episódios de uma série médica”, pontuou.

Fugindo dos estereótipos, o doutor paraense  ajudou a construir uma obra que retrata com fidelidade a vida de uma pessoa com doença autoimune, mostrando que antes de serem pessoas doentes, são somente pessoas. 

João Alho diz-se muito satisfeito com o resultado: “Amei. O diferencial [do filme] foi mostrar lúpus como coadjuvante. Ele é importante para desenrolar o roteiro e para cruzar o caminho dos personagens, mas em momento algum define quem é a pessoa. O ser humano é o que é, com seus desejos, suas angústias e sobretudo com os seus sonhos”.

Conheça detalhes do filme

Em “Depois do Universo”, a pianista Nina, interpretada por Giulia, é portadora de lúpus e sempre sonhou em tocar na Orquestra Sinfônica de São Paulo. Mas ao descobrir a doença autoimune que exige dependência de sessões de hemodiálise, acaba tendo seus objetivos frustrados. Assim, sua única esperança é um transplante de rim. 

Nina e Gabriel no filme "Depois do Universo" (Divulgação/ Netflix)

Durante esse período, Nina conhece o médico Gabriel, vivido pelo ator Henrique Zaga, e juntos, descobrem uma paixão. Gabriel vira o doutor responsável pelo acompanhamento médico e vira o porto seguro para a pianista.  Entre as sessões e um amor avassalador, Nina sabe que apesar de querer conquistar muitos sonhos, pouco tempo de vida lhe resta. 

A história carrega a assinatura de Ana Reber e a direção de Diego Freitas. O elenco conta com João Miguel, Othon Bastos, Rita Assemany, Leo Bahia, Viviane Araújo, Isabel Fillardis, Adriana Lessa, Denise Del Vecchio e João Côrtes.

Curiosidades de ‘Depois do Universo’

  • Giulia Be canta a música oficial da trilha sonora em duas versões, portugês e inglês;
  • Para se preparar para o papel, Giulia passou cerca de um mês frequentando um hospital, acompanhando a rotina de pacientes acometidos por lúpus que dependem de hemodiálise para sobreviver. 
Cultura
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA