MPF no Rio investiga veto a projetos audiovisuais com temática LGBT

O MPF quer saber se o governo federal vetou nominalmente quatro produções com temática LGBT selecionadas no edital

Agência Estado

O Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro anunciou nesta quinta-feira (22) que instaurou procedimento para investigar o veto a projetos audiovisuais com temática LGBT que haviam sido pré-selecionados em edital lançado em março de 2018 pela Agência Nacional de Cinema (Ancine).

O MPF enviou ofícios ao Ministério da Cidadania e à Ancine requisitando informações, a serem prestadas no prazo de dez dias, sobre a suspensão do edital, bem como sobre a suposta decisão governamental de não aprovar projetos audiovisuais relacionados a temáticas LGBT.

O MPF quer saber se o governo federal vetou nominalmente quatro produções com temática LGBT selecionadas no edital. Em live transmitida pelo Facebook na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro criticou essas produções.

Segundo a portaria que instaurou a investigação, se confirmada, tal ameaça ou discriminação pode importar em inobservância das regras editalícias, de caráter vinculante para a administração pública, bem como em discriminação constitucional proibida.

O processo de concorrência, que distribuiria R$ 70 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), foi suspenso por pelo menos 180 dias, pelo ministro da Cidadania, Osmar Terra, a quem a Ancine está subordinada. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União na quarta-feira (21).

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!