Gaby Amarantos dá vida à advogada poderosa em comédia 'De Perto Ela Não é Normal'

Filme que estreia nos cinemas e plataformas de streaming promete muitas risadas e discussões sobre feminismo, sororidade e representatividade

Caio Oliveira

Depois de anos de sucesso nos teatros, a atriz e escritora Suzana Pires levou seu monólogo "De Perto Ela Não É Normal" para a tela grande, em uma adaptação cinematográfica escrita por ela e com direção de Cininha de Paula. Para apresentar as aventuras de uma mulher presa a um casamento infeliz que resolve dar uma guinada na vida, ela chamou um time de super mulheres com nomes como Ivete Sangalo, Angélica, Samantha Schmütz, Heloísa Perissé e Gaby Amarantos, que mais uma vez exercita seu lado de atriz ao representar uma poderosa advogada.

"É uma honra fazer parte desse projeto e a Suzie é uma abençoada. Ela me deu esse presente de fazer a Maria Pia, e esse filme vem nesse momento em que a gente tá dando mais valor pra arte, pro cinema, entendendo o quanto que é importante pra vida essas válvulas de escape, de assistir a um bom filme pra poder relaxar", contou a jurunense, em coletiva de imprensa virtual para divulgar o filme que chega aos cinemas no dia 29 de outubro e em 5 de novembro no Telecine Premium e no streaming da marca, pelo selo Première Telecine. O longa também estará disponível para aluguel em outras plataformas digitais.

"Fiz questão de escalar atores negros para os papeis das pessoas mais ricas do filme", conta Suzana Pires (Divulgação)

Mesmo que seja uma comédia leve sobre o universo feminino, a produção trata de temas como feminismo, sororidade e empoderamento. Além disso, o filme é a primeira produção brasileira a formalizar o comprometimento com a cláusula de inclusão (“inclusion rider”), medida adotada pela produtora Escarlate e que determina um nível de diversidade de gênero, racial e de pessoas com deficiência, tanto no elenco quanto na equipe técnica. 

Para Gaby, mulher negra e amazônida, esse comprometimento fez com que ela ficasse mais confortável ainda em um set de uma grande produção, e dar vida a uma mulher tão imponente fez ela se sentir representando milhões de pessoas que não costumam se enxergar em papéis de destaque.

"Eu lembro que, em um café com a Suzie, eu perguntei: 'Nossa, será que essa mulher existe?'. Aí, ela me disse uma coisa muito linda: 'Se ela não existe, a gente vai inspirar para que ela possa existir'", contou a cantora, que além de exaltar o sucesso de sua personagem, fala sobre como ela puxa outras mulheres para cima.

"Ela é uma mulher negra, advogada, poderosa, que lidera um escritório de advocacia e faz uma coisa muito bonita, que nós mulheres estamos fazendo cada vez mais: ela apoia a outra. Então, é muito lindo a gente poder trazer pro cinema essa discussão de uma forma leve. Eu estou muito orgulhosa", disse a cantora paraense, que recebeu vários elogios dos artistas presentes na coletiva.

"Esse papel é de Gaby, de mulheres como Gaby, sabe? Que traz essa força, essa mulher líder, dona de si. Ela é isso! Você é um talento, uma força da natureza, não é à toa que você vem desse Norte maravilhoso do nosso país", se declarou Ivete Sangalo para a amiga.

Mulher de vários talentos

Artista multifacetada, Gaby Amarantos teve na atuação sua primeira grande aspiração, chegando a participar de uma companhia de teatro em Belém antes de ser arrebatada pela música. Contudo, ela conta como sempre volta às artes cênicas, atuando em videoclipes e criando personagens para suas composições. Além de atuar na produção, Gaby também fez parte da trilha sonora com a música "Sou + Eu", o que fez com que unisse duas de suas grandes paixões. "Arte é isso: a gente se expressa de todas as formas", declarou a paraense, que também foi responsável por apresentar Anna Tréa, guitarrista, multi-instrumentista e cantora paulistana que assina a trilha sonora original da produção, para Suzana Pires. 

Onde quer que esteja, Gaby usa sua arte para lembrar que Amazônia também é Brasil e dar cada vez mais destaque para a produção artística da região. "É muito importante esse olhar, a gente entender essa continentalidade desse país tão enorme. A gente acaba tendo, na questão cultural, uma visão muito 'sudeste-cêntrica' de tudo, com a maioria das produções sendo feitas em Rio ou São Paulo. Eu sempre falei sobre isso: gente, vamos olhar pro Brasil como um todo, vamos olhar pro Norte, vamos olhar pra Amazônia", disse. 

Respondendo a O Liberal, Gaby anunciou que está preparando álbum novo e tem um clipe que vai sair até o fim do ano. "Não posso dar muito spoilers, só posso dizer que é um feat bombástico", disse, destacando que o disco deve ser lançado no ano que vem. Até lá, o foco da agenda apertada de atriz, cantora e apresentadora é divulgar De Perto Ela Não é Normal, que além de fazer rir, quer passar uma mensagem para todas as mulheres do Brasil.

Gaby Amarantos como advogada Maria Pia (Divulgação)

"De repente, aquela mulher que tá passando por um relacionamento abusivo que não sabe o que é sororidade, o que é feminismo, que tem uma vida humilde, vai assistir a esse filme e vai ter esse estalo e dizer 'caramba, eu não preciso passar por isso, eu posso ser empoderada'. É isso que é importante, é nessas pessoas que a gente tem que chegar, nessas famílias. Esse filme é extremamente necessário e tenho certeza que vai ser uma grande revolução pra gente pensar e rir muito", exalta Gaby.  

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM CINEMA

MAIS LIDAS EM CULTURA