Com textos de Luzia Álvares e Pedro Veriano, livro vai explorar papel da crítica de cinema no Pará

Coletânea organizada por Marco Antonio Moreira e Bene Martins vai apresentar escritos que fazem parte da história do cinema no estado

Redação Integrada

O Pará e o cinema têm uma história que se entrelaça no Brasil, e segue viva até os dias atuais, a exemplo do Cine Olympia - o mais antigo em funcionamento no país. Em meio a esta história, há um ponto de suma importância na relação da população do estado com a sétima arte, que agora vira tema de livro: o impacto da crítica de cinema.

A publicação reúne produções escritas em diferentes épocas pelos críticos Luzia Álvares e Pedro Veriano, e tem lançamento previsto para 2021. O projeto tem como um de seus objetivos evidenciar as mudanças de linguagem e conteúdo dos autores e dos filmes escolhidos. Os textos são organizados pelos professores Marco Antonio Moreira e Bene Martins.

“O projeto tem o compromisso de publicar os escritos de Pedro e Luzia para, além de perpetuar seu conteúdo, aumentar o acesso à história e a críticas intensas, que marcaram época. É uma iniciativa que valoriza o trabalho da crítica cinematográfica como elemento formador de opinião e incentiva estudos sobre diferentes modos de elaborar críticas de cinema em diversos tempos”, diz Marco Antonio Moreira, que ainda destaca a possibilidade de explorar uma relação entre o material e atuais expressões de pensamento.

Com produções publicadas desde o final dos anos 1950, Pedro Veriano escreveu diariamente, entre 1966 e 2001, no jornal A Província do Pará, e posteriormente no jornal A Voz de Nazaré. Luzia Álvares foi a primeira mulher crítica de cinema a ter coluna de cinema com publicações diárias, entre 1972 e 2015 no jornal O Liberal. A produção de ambos é significativa, e escolhida para a publicação devido a variação de abordagens, temáticas, estilos e intenso compromisso com o cinema.

Cinema e Belém

O cinema é uma invenção do século XIX que chegou a Belém do Pará em 1896, ano em que ocorreram as primeiras exibições públicas na cidade, que fizeram sucesso. O público da época aprovou e aparecia com frequência às exibições. Em pouco tempo, criou-se na capital paraense o compromisso de assistir, divulgar e apreciar os filmes das programações locais.

Mas para alguns, isto ainda era pouco: uma parte do público manteve a prática de escrever sobre as películas exibidas nas salas ou em espaços improvisados. Foi um trabalho de crítica cinematográfica com papel fundamental, pois adquiriu a função de apontar sutilezas não tão evidentes aos olhos do espectador comum.

“Podemos afirmar, como leitores de críticas, que essas pessoas contribuíram muito com a consolidação do Cinema como entretenimento popular em nível regional. Eles tornavam mais fácil compreender, perceber detalhes, entender propostas estéticas dos diretores, apurar o olhar para a qualidade da fotografia, do cenário, das sequências fílmicas, do enredo, da composição complexa de personagens, a atuação de atores, entre outros elementos”, observa Marco Antonio.

Observando a vastidão do conteúdo produzido por Pedro Veriano e Luzia Álvares, no que se refere ao pensamento da atividade de crítica cinematográfica, o projeto também quer publicar outras coletâneas posteriormente, de outros autores com obras que podem ser pesquisadas e publicadas. A coletânea de críticas de Pedro Veriano e Luzia Álvares terá apoio do Centro de Estudos Cinematográficos (CEC), sob a coordenação de Marco Antonio Moreira.

Cinema
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM CINEMA

MAIS LIDAS EM CULTURA