'A Mulher Rei' é fonte de inspiração e de reparação histórica

A jornalista, atriz, educadora social e militante Wellingta Macêdo, 42 anos, foi para o cinema no dia da estreia e fez comentários sobre a produção

Bruna Lima
fonte

Nos filmes de Hollywood que narram histórias de heroísmo é comum ver o protagonismo de homens brancos, mas a produção de "A Mulher Rei" chega para quebrar alguns estereótipos e mostrar o protagonismo da mulher negra em um papel de força, garra e luta. O filme está em cartaz nos cinemas desde o dia 22 de setembro.

VEJA MAIS

image 'Brasil, eu te amo', comemora Viola Davis ao atingir topo da bilheteria no país
A atriz norte-americana ficou em 1º lugar com o novo filme 'A Mulher Rei'.

image 'Brasil, eu te amo', comemora Viola Davis ao atingir topo da bilheteria no país
A atriz norte-americana ficou em 1º lugar com o novo filme 'A Mulher Rei'.

A jornalista, atriz, educadora social e militante Wellingta Macêdo, 42 anos, foi para o cinema no dia da estreia do filme em Belém. Ela conta que a expectativa era grande não só porque o filme coloca em debate a força militar do Reino de Daomé, atual República do Benin, na África, as também por ter como protagonista a maior atriz negra da atualidade, Viola Davis.

"Eu estava bastante ansiosa por essa produção e por isso fui logo no dia da estreia. O filme vai de encontro ao estereótipo machista das mulheres negras, da coisificação e da condição de escravidão. A produção mostra mulheres guerreiras, com um papel de liderança e força. Achei um roteiro bem amarrado", pontua a jornalista.

Apesar dos elogios, Wellingta destaca a romantização típica que Hollywood costuma mostrar nos filmes. "Existe uma parte reservada na trama, sobre a qual não vou dar spoiler, que mostra a romantização comum nos filmes de Hollywood. Achei desnecessário, mas faz parte”, completa.

Mas de um modo geral, ela avaliou a produção como muito boa e diz que se sentiu feliz em ver o papel da mulher negra sendo mostrado sob outra ótica nas telonas, desta vez em lugar de comando. 

"Quando você vai ao cinema e assiste um filme de super-herói, você costuma se inspirar. Acredito que tanto as meninas negras como as brancas também vão poder se mirar no exemplo dessa personagem e das outras mulheres que fazem parte da trama, pois todas ocupam um papel de força e de luta. O filme faz um resgate histórico importante e necessário, pois muita gente não sabe, mas, as mulheres negras estiveram à frente das batalhas lutando contra a escravidão", observa.

Sinopse

'A Mulher Rei' acompanha a trajetória de Nanisca (Viola Davis), que foi uma comandante do exército do Reino de Daomé, um dos locais mais poderosos da África nos séculos XVII e XIX. Durante esse período, o grupo militar era composto apenas por mulheres que, juntas, combateram os colonizadores franceses, tribos rivais e todos aqueles que tentaram escravizar seu povo e destruir suas terras.

Viola Davis é uma atriz e produtora norte-americana, vencedora de um Oscar, um Emmy Award e dois Tony Awards, alcançando, dessa forma, a Tríplice Coroa da Atuação. Foi considerada pela revista Time uma das 100 pessoas mais influentes do planeta em 2012 e em 2017.

Palavras-chave

Cultura
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM CULTURA

MAIS LIDAS EM CULTURA