Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Mulher xinga dono de loja de 'macaco preto' após confusão envolvendo açaí

Empresário afirma que os insultos duraram cerca de 30 minutos

Emilly Melo

Uma mulher xingou com termos racistas um empresário de uma loja de açaí, na última segunda-feira (9), em Taguatinga, Distrito Federal. De acordo com o dono do estabelecimento, a mulher ficou cerca de 30 minutos na porta do estabelecimento insultando-o. Com informações do Metrópoles. 

Paulo Vitor Silva Figueiredo, de 22 anos, gravou as falas da cliente e se recusou a preparar o pedido. Ela não queria que o açaí fosse misturado com a banana. 

VEJA MAIS

Defensora pública aposentada é suspeita de cometer injúria racial contra entregador; vídeo
A moradora de condomínio chamou o trabalhador de “macaco”

Vereador esquece microfone ligado e fala frase racista no meio de sessão: ‘Coisa de preto’; vídeo
Declaração foi feita durante os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as empresas de aplicativo na Câmara Municipal de São Paulo

Passageiros acusam mulher de racismo em estação do metrô de São Paulo; polícia investiga o caso
Testemunham relatam que uma mulher loira questionou outra passageira se ela poderia ‘tirar o cabelo’ de perto, para não passar doença

Após o dono de estabelecimento informar que não poderia alterar a receita, a mulher começou os insultos: “macaco preto, idiota, palhaço, ridículo, ET, inútil, pateta”, disparou. 

“Ela me viu colocando a banana no açaí para bater e falou que não queria com banana. Eu expliquei que a nossa receita é fechada já, que é o açaí, banana e xarope”, contou. “Ela não quis aceitar, não queria que eu batesse com banana, porque ela estava exigindo. Eu falei: ‘Moça, não tem como, minha receita é essa’. Aí ela falou: ‘Então vamos resolver na delegacia’. Pensei que ela iria chamar o Procon, algo assim, mas ela começou a me xingar, atacar: ‘Macaco, preto'”, completou.

O empresário afirma que nunca havia passado por uma situação assim. Ele também afirma que a cliente “tem o histórico de ser alguém que causa muitos problemas” no comércio onde fica sua loja.

“Depois, ainda chegou uma cliente nossa e perguntou o que estava acontecendo. Aí, ela começou a agredir verbalmente essa moça e continuou: ‘Macaco, preto, alienígena’. Isso começou umas 20h e ela ficou lá até 20h30 xingando”, relatou.

(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Keila Ferreira, coordenadora do Núcleo de Política)

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL