Flordelis: amiga ‘treinou’ testemunhas para não envolver a ex-deputada no crime, diz neta

‘Se a gente falasse algo sobre a Flordelis, ela dizia que não’, contou a neta da pastora

Emilly Melo

Durante depoimento no julgamento sobre o homicídio do pastor Anderson do Carmo, a neta da ex-deputada e pastora evangélica Flordelis, Rebeca Vitória Rangel Silva, afirmou em depoimento, nesta quinta-feira (10), que Paula Magalhães, mais conhecida como Paula do Vôlei, simulou uma coleta de depoimento com as testemunhas do processo. O objeto da amiga e braço direito de Flordelis era instruí-las a não acusar a ex-parlamentar. Com informações da Agência Estado.

"Ela sentava com a gente e simulava que ela era a delegada. Se a gente falasse algo sobre a Flordelis, ela dizia que não. Ela fazia a nossa cabeça para chegar na DH (Delegacia de Homicídios) e não acusar a Flordelis. Se eu falasse que a Flordelis era a mandante do crime, ela cortava", contou.

Filha adotiva diz que pastora “permitiu o crime” 

Segundo a primeira testemunha do dia, Roberta dos Santos, filha adotiva de Flordelis e Anderson do Carmo, disse que o assassinato só aconteceu porque ela (Flordelis) permitiu". Quando questionada se Flordelis foi a mandante do crime, ela foi taxativa: "Com certeza".

Ela contou que a família de Flordelis "não era uma família normal, mas era uma família". "Torta, errada, mas era uma família. Aprendemos a normalizar. Era uma família enorme. O Niel (apelido de Anderson, marido da ex-parlamentar) tratava a Flordelis como um Deus. O Niel tinha muito respeito por ela", disse.

Roberta negou que a mãe ou as irmãs tenham sido alvo de abuso sexual por parte de Anderson do Carmo. 

VEJA MAIS

Troca de nome, Bíblia e bonecos de cera: filho de Flordelis detalha supostos rituais da pastora
Wagner Andrade Pimenta é um dos filhos afetivos da ex-deputada federal pelo RJ e depôs contra a mãe

Julgamento da ex-deputada Flordelis entra no segundo dia com depoimento de testemunhas
Além dela, também estão sendo julgados os filhos adotivos da ex-parlamentar, André Luiz e Marzy Teixeira, a filha biológica Simone dos Santos e a neta Rayane dos Santos

Flordelis esconde dinheiro nas partes íntimas após visita na prisão, diz policial penal
Agente também afirma que ela estaria com números de advogados escritos na parte interna da calça

"Não existe abuso sexual. O Niel (Anderson) não era um abusador", disse. "Quando me perguntam isso, me dá um embrulho no estômago. A forma como eles estão levando isso é um deboche com mulheres que realmente sofrem abuso sexual. Isso é uma afronta. O Niel respeitava. Ele não permitia que a gente andasse de biquíni, de short curto, porque tinha muito homem naquela casa. Abuso sexual eu nunca ouvi naquela casa. É uma casa grande, tem fofoca. Se tivesse, saberíamos".

Onze pessoas já prestaram depoimentos até o momento. Ainda estão previstas as oitivas de outras 16 pessoas em defesa dos réus.


(*Emilly Melo, estagiária, sob supervisão de Hamilton Braga, coordenador do Núcleo de Política)

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL