Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Ex-mendigo Givaldo já foi preso por participar de sequestro de mulher; veja a história do crime

Durante o crime, um bebê de um ano e oito meses, filho da mulher, foi amarrado pelos criminosos.

Maiza Santos

Givaldo Alves, o mendigo que viralizou nas redes sociais após ser espancado por personal trainer, já foi preso e condenado por participar de um sequestro. O envolvimento na ação violenta aconteceu em 2004, em São Paulo, e a vítima teria sido uma mulher que, na época, tinha 33 anos. 

VEJA MAIS

Advogadas apresentam denúncia após declarações de morador de rua que fez sexo com esposa de personal
Representantes do personal e da mulher dele, as advogadas definiram as falas como "desrespeitosas e ofensivas"

Sem-teto espancado por personal se desculpa por expor intimidade da mulher
Em entrevista por meio de uma rede social, Givaldo de Souza, 48 anos, falou que foi ‘infeliz’ ao relatar um fato que poderia ter ponderado

Sem-teto flagrado com mulher de personal ostenta vida de celebridade
Givaldo Alves já possui mais de 500 mil seguidores em uma rede social

O ex-sem-teto foi preso em flagrante no dia 1° de julho de 2004 ao pegar o dinheiro do resgate da mulher, uma quantia de R$ 3 mil, em uma lixeira na Praça do Forró, em São Miguel Paulista. Givaldo confessou o crime e levou os policiais ao cativeiro da vítima, em Itaquaquecetuba. Mas ao chegar lá, a mulher já havia sido liberada pelos criminosos. O ex-mendigo ainda alegou que foi ao local uma vez e que não teria visto a mulher sequestrada.

Sobre o crime

Para a polícia, Givaldo falou que foi convidado por dois homens, que não conhecia, e iria pegar o dinheiro do sequestro. Como pagamento pelo crime, ele receberia R$ 500. A defesa do ex-sem-teto ainda alegou que ele estava no local errado na hora errada.

A tese não convenceu o juiz, que chamou a versão da história de infantil, absurda e considerou um crime gravíssimo. Givaldo foi condenado a 15 anos de reclusão em regime fechado, mais dois anos por maus antecedentes e reincidência.

Mesmo com a condenação de 17 anos, o ex-mendigo teve uma revisão criminal da pena e cumpriu apenas oito anos de prisão. Em 2013, ele foi solto da Penitenciária Compacta de Flórida Paulista, no interior de São Paulo.

VEJA MAIS

Ex-morador de rua é 'cancelado' nas redes sociais e perde três contas no Instagram
Vários grupos feministas se uniram para derrubar os perfis criados por Givaldo Alves na web

Personal que agrediu ex-morador de rua se declara para a esposa: ‘te amo, meu amor'
Sandra Mara recebeu alta da clínica psiquiátrica onde estava internada

Casal envolvido na polêmica sexual com sem-teto faz sucesso nas redes sociais
Em menos de um mês, Sandra acumula 300 mil seguidores no instagram

O sequestro 

Segundo a investigação, uma mulher de 33 anos, o marido de 34 anos e o filho deles, de um ano e oito meses, estavam saindo de casa para ir ao supermercado, no dia  29 de junho de 2004, por volta das 19h40, quando foram abordados por três homens armados.

Os sequestradores - não há confirmação se Givaldo estava entre eles - levaram a família para dentro da residência, conduziram a mulher para um dos quartos e roubaram quatro celulares, um relógio, 400 dólares (o equivalente a cerca de 313 reais, na época), R$ 150 e bijuterias. Depois, amarraram o pai e o bebê e saíram com a mãe no carro da família em direção ao cativeiro.

VEJA MAIS

Novas imagens mostram momento em que personal agride sem-teto no DF; vídeo
Agressão aconteceu após o homem flagrar a esposa tendo relações sexuais com um morador de rua dentro de um carro

Traição que teve sem-teto como pivô vira zoeira na internet; veja
A história mexeu com a curiosidade de muita gente e, claro, os 'memezeiros' de plantão não perdoaram

Dinheiro do resgate

No cativeiro havia outros homens encapuzados. Os criminosos mantiveram a mulher amarrada e, no dia seguinte, ligaram para o marido da vítima e pediram R$ 300 mil como resgate. Porém, com o decorrer das negociações, a quantia foi reduzida para R$ 3 mil. A mulher acabou sendo solta pelos criminosos 48 horas depois de ter sido sequestrada, quando os homens achavam que tinham conseguido pegar o dinheiro na lixeira.  

(Estagiária Maiza Santos, sob supervisão da editora Web de OLiberal.com, Vanessa Pinheiro)

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL