Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Caso Daniella Perez: relembre outros 5 crimes com ritual macabro no Brasil

A morte da atriz virou documentário no streaming HBO e foi comprovado pela equipe de investigação que estava ligado a um ritual. Relembre outros casos de assassinatos causados por criminosos envolvidos em rituais

Juliana Maia

O assassinato de Daniella Perez, executado pelo ator Guilherme de Pádua e sua esposa, Paula Thomaz, ocorreu em dezembro de 1992, quando a atriz deixava os estúdios de gravação da novela “De corpo e alma” e foi morta a tesouradas, tendo o corpo abandonado dentro de um matagal, no Rio de Janeiro. Na trama, a moça de 22 anos interpretava “Yasmin”, par romântico de “Bira”, personagem de Pádua, na época. As investigações apontaram que o motivo do assassinato teria sido a suposta redução das cenas interpretadas por Guilherme de Pádua na telenovela e o destaque para a personagem “Yasmin”.

VEJA MAIS

Daniella Perez: entenda o ritual macabro com círculo de fogo e lua cheia que envolveu morte da atriz
Em 'Pacto Brutal', detalhes do assassinato da filha de Gloria Perez, como tatuagens no pênis e virilha, foram revisitados

Por causa de tosse, criança foi levada a ritual e acabou morta, diz advogado
Suposto guia espiritual colocou álcool e ervas no corpo da menina e passou uma vela próximo. A menina Maria Fernanda de Camargo, de 5 anos, não resistiu às queimaduras em 100% do corpo

Mãe, tia e avós são presos suspeitos de matar criança queimada em ritual de ‘espírito maligno’
A menina de cinco anos teria sido queimada viva durante ritual. Os envolvidos no crime vão responder por homicídio doloso

Em depoimentos, amigos próximos de Daniella declararam que o homem costumava pressionar a moça, para que ela pedisse à mãe e diretora da novela, Glória Perez, que aumentasse o número de cenas do ator. Guilherme de Pádua confessou o crime e foi condenado a 19 anos de prisão. Sua esposa Paula recebeu a pena de 18 anos. Ambos saíram da prisão em 1999. A HBO lançou, no dia 21 de julho, a série documental "Pacto Brutal - O Assassinato de Daniella Perez" sobre o caso, que traz depoimentos da mãe da atriz e diretora Glória Perez e de amigos que contracenavam com a moça.

Veja outros 5 crimes envolvendo rituais no Brasil

Integrantes de seita matam pessoas em 'ritual satânico' como oferenda para ganhar na Mega-Sena

O caso ocorreu em 2021, em Iguatu, no Ceará, onde dois homens identificados como Gleudson Dantas Barros e Roberto Alves da Silva, atraíram 4 vítimas para um sítio e realizaram um ritual oferecendo o rosto da vítima em troca do prêmio da loteria. Todos os assassinatos eram feitos da mesma forma: a dupla atirava na nuca das pessoas como oferenda. 

Objetos encontrados no sítio onde os criminosos enterravam as vítimas (Divulgação: Polícia Civil)

Segundo Marcos Lira, delegado do caso, um dos assassinos também realizava o pacto com o objetivo de ter poderes divinos e mulheres. Gleudson e Roberto deixavam a cova pronta no sítio e escolhiam aleatoriamente a pessoa que iriam matar. A dupla se infiltrava na sociedade fingindo ser religiosos e capturavam as vítimas. 

Os meninos emasculados de Altamira

Somente a Verdade: novo episódio traz história dos Emasculados de Altamira; vídeo
Entre os anos de 1989 e 1993, catorze crianças, todos meninos, foram sequestrados, mutilados, mortos, assediados ou simplesmente desapareceram

Em Altamira, no sudoeste do Pará, catorze crianças do sexo masculino foram sequestradas entre os anos de 1989 e 1993. Os corpos das seis vítimas que foram localizadas estavam com inúmeras mutilações, principalmente na região genital, onde tinham a genitália externa masculina emasculada, ou seja, arrancada. Os assassinos assediavam, sequestravam e matavam as vítimas. Em alguns casos, os corpos eram encontrados com a ausência de outros órgãos.

Ocorrido há 32 anos, o caso dos Emasculados de Altamira ainda gera revolta
Websérie 'Somente a Verdade' mostra como o sequestro, a mutilação, o desaparecimento e assassinato de 14 meninos, marcaram os anos 90, no Pará

Até hoje, cinco das quatorze crianças ainda continuam desaparecidas e há três sobreviventes destes sequestros. Estes, foram encontrados emasculados, ou seja, castrados. Após uma série de investigações, a polícia chegou à conclusão de que a série de mortes estava relacionada a uma seita, conhecida como Lineamento Universal Superior (LUS), ligada a um ritual de magia negra liderado por Valentina de Andrade.

Homem preso suspeito de esquartejar, carbonizar e beber sangue de vítima

O crime ocorreu no ano de 2021, em Samambaia Norte, no Distrito Federal, quando a polícia local encontrou o cadáver de uma vítima, identificada como Antônio Lima, em um terreno baldio. Foram encontrados no local algumas partes da coluna vertebral e o fêmur do rapaz. O resto do corpo da vítima estava totalmente carbonizado. 

desenhos encontrados no terreno onde estava o corpo de Antônio de Lima (Reprodução/Twitter)

Segundo a Polícia Civil, logo depois do homicídio, o assassino também bebeu o sangue da vítima. Ele teria usado uma capa preta e vermelha durante o ato brutal. No local, havia desenhos e imagens que faziam referência a rituais satânicos.

Imagens fazendo referências a rituais satânicos foram encontrados no local do crime (Reprodução/Twitter)

Caso Evandro

O garoto Evandro Ramos desapareceu no trajeto entre a casa e a escola, na cidade de Guaratuba, Paraná, em 1992. Evandro estava com a mãe, Maria Caetano, e disse a ela que iria voltar à residência para buscar seu mini-game e nunca mais retornou para a mãe. Cinco dias depois de seu desaparecimento, o corpo foi encontrado em uma área de mata, sem os órgãos e com mãos e dedos dos pés cortados. Em 1992, a cidade sofria com uma série de desaparecimentos de crianças. 

Garoto Evandro, morto em 1992 e encontrado 5 dias após seu desaparecimento (Divulgação)

Celina Abagge e Beatriz Abagge, esposa e filha do prefeito da época, Aldo Abbage, foram as principais acusadas de encomendar a morte do menino Evandro para um ritual religioso, que ficou conhecido como “As Bruxas de Guaratuba”. Outras cinco pessoas também estavam envolvidas no ritual e assassinato e foram presas.

Menina morta em ritual ‘de cura’, em Minas Gerais

No início de 2022,  Maria Fernanda Camargo (5), morreu queimada em um ritual religioso, na cidade de Frutal, em Minas Gerais. A mãe, avó, avô e uma tia da criança foram presas, além de um guia espiritual que estava presente no local. À Polícia, os suspeitos apresentaram a versão de que era um acidente doméstico envolvendo álcool e a churrasqueira da casa, mas, durante a apuração, foi constatado que a morte de Maria Fernanda foi ocasionada por um ritual ‘de cura’, realizado por um guia espiritual.

Uma das suspeitas envolvidas no crime de Maria Fernanda, de 5 anos (Reprodução/Twitter)

De acordo com os acusados, a família decidiu realizar o ato buscando a cura de uma gripe que a menina tinha na época. O médium indicado pelos acusados passou álcool no corpo da menina, que começou a pegar fogo.

Brasil
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL