Auxílio Reclusão aumentou? Veja o valor real e o que mudou em 2023

O valor pago pelo Auxílio Reclusão continua no valor de um salário mínimo, que atualmente é de cerca de R$1,3 mil; mudança ocorreu no teto das condições para recebimento do benefício, que teve aumento após reajuste nos benefícios de aposentados e pensionistas do INSS

Gabriel Mansur

Informações que circulam pelas redes sociais afirmam que o atual governo do presidente Lula teria aumentado o valor do Auxílio Reclusão para mais de R$ 1,7 mil. O benefício, que é pago para familiares de presos que contribuíram com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e estão em regime fechado ou semiaberto, tem valor fixo de um salário mínimo

VEJA MAIS

image O que é Auxílio Reclusão? Veja quem tem direito ao benefício
Lei que regula os benefícios previdenciários divide os dependentes em três classes

image Meu INSS: saiba como solicitar Auxílio-Reclusão pelo celular
Este benefício pode ser solicitado pelos dependentes do trabalhador privado de liberdade

image Bolsa Família 2023: pagamento começa amanhã, quarta-feira (18/01); veja quem pode receber
Quem era beneficiário do Auxílio Brasil deve manter seus dados atualizados no CadÚnico para continuar recebendo o valor

A mudança ocorreu, na realidade, no valor de renda máxima que o cidadão preso recebia antes de ser privado de liberdade. Um reajuste de 5,93% sobre os benefícios de aposentados e pensionistas do INSS aumentou o teto das condições para recebimento do Auxílio Reclusão para R$ 1.754,18.

Isso significa que para que os familiares do detento tenham direito ao Auxílio Reclusão, o preso deveria ter uma renda igual ou inferior ao valor anteriormente mencionado (R$ 1.754,18) na média entre os últimos doze meses antes de sua prisão. Entretanto, o valor pago pelo benefício aos familiares é de um salário mínimo, cerca de R$ 1,3 mil

Quem pode receber o Auxílio Reclusão

Tem direito ao Auxílio Reclusão os familiares e parentes de detentos que preencham os seguintes requisitos:

  • O preso deve ter exercido atividade reconhecida pelo INSS e contribuído com a previdência pelo período mínimo de 24 meses;
  • Preso em regime fechado ou semiaberto até o dia 17/01/2019;
  • Que a média do valor contribuído nos últimos 12 meses anteriores à prisão seja igual ou inferior a R$1.754,18;
  • Não receber salário ou outro benefício do INSS durante o período de detenção.

(Estagiário Gabriel Mansur, sob supervisão do editor executivo de OLiberal.com, Carlos Fellip)

 

Brasil
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BRASIL

MAIS LIDAS EM BRASIL