Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

VÍDEO: Após forte chuva, alagamentos voltam a causar transtornos na BR-316

Morador de Marituba fala sobre os problemas causados pela falta de escoamento na via, que atingem as residências e também causam dificuldade no fluxo de veículos

João Paulo Jussara/ O Liberal

Os constantes alagamentos na rodovia BR-316, que atingem os municípios de Ananindeua e Marituba, na Região Metropolitana de Belém (RMB), voltaram a causar transtornos após a forte chuva que caiu na tarde desta terça-feira (20). Vídeos gravados por um morador da região mostram veículos trafegando com muita dificuldade, com os pneus quase completamente cobertos pela água que acumulou na via, na área próxima ao posto de fiscalização do Departamento de Trânsito do Pará (Detran), no quilômetro 10.

LEIA MAIS:
Ministério Público quer fim de alagamentos na BR-316

Jean Gomes é professor e mora em Marituba há 40 anos. Por volta das 17h, ele retornava para sua casa, no bairro São João, de bicicleta, quando ficou preso na calçada, sem poder continuar o percurso, devido ao alagamento que encobria a rua. Para completar, um caminhão passou em alta velocidade ao lado dele, que ficou totalmente encharcado. "Eu tentei dobrar e não consegui, depois ainda tomei um banho. Aí decidi gravar e denunciar essa situação", relatou.

De acordo com o morador, desde que ele se mudou para o bairro São João, há sete anos, o problema já existia, mas foi nos últimos três anos que se acentuou, por conta da obra da Estação do BRT. "Eles fizeram um tampão de vedação, e quando chovia muito forte, a água acabava entrando no canal e escoando pelo Igarapé das Toras. Mas, com essa construção, que já está parada há mais de um ano, só piorou, porque toda chuva que cai, causa alagamentos de até um metro, o que acaba inviabilizando o fluxo de carros", disse Jean.

O professor conta que os moradores das áreas mais afetadas já chegaram a fazer até um abaixo-assinado e enviar aos órgãos de trânsito, mas nenhuma solução foi tomada. "Toda vez que chove, nós somos obrigados a conviver com ratos que saem dos esgotos e entram nas casas, com o lixo, com baratas. Os bueiros ficam todos entupidos, ninguém consegue passar. É um transtorno geral", concluiu o morador.

Ministério Público atua no caso

Na semana passada, a questão dos alagamentos na BR-316 foi tratada durante reunião entre representantes do Ministério Público do Pará (MPPA), do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) e dos municípios de Ananindeua e Marituba. Na ocasião, o NGMT informou que os problemas são ocasionados, principalmente, pela insuficiência da vazão das galerias instaladas no local, pelo acúmulo de lixo no Igarapé das Toras e pelo aterramento irregular de uma parte do igarapé na área a jusante.

Sobre as denúncias do morador de Marituba, o NGTM se limitou a dizer que não identificou alagamento nesta tarde no trecho citado. A Prefeitura de Marituba, por telefone, informou que o órgão responsável pelas obras no local é o NGTM, e só eles poderiam falar sobre o assunto.

Já a Prefeitura de Ananindeua informou que faz parte de uma comissão técnica, em conjunto com o município de Marituba, para apresentar um estudo de viabilidade do desaterramento do Igarapé das Toras. "O estudo técnico é necessário para definir quais serão as medidas a serem adotadas. Para isso, a Sema apresentará, na próxima reunião, dia 22, seus representantes técnicos especializados, para que possam contribuir com o projeto que será executado pelo NGTM", finalizou a nota.

A reportagem também solicitou nota ao Detran, mas até o momento desta publicação, não obteve retorno.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM