Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Tomar sorvete é uma alternativa para amenizar o calor em Belém; vídeo

Turistas gostam de saborear o produto onde também podem contemplar a natureza

Dilson Pimentel

Para amenizar o calor de Belém, nesse período de verão amazônico, uma das alternativas é tomar sorvete. Por volta das 11 horas desta terça-feira (19), a capital paraense registrava 30 graus, com a sensação térmica de 34 graus. E as pessoas que estavam na Estação das Docas, um dos principais pontos turísticos da capital, aproveitaram a oportunidade para tomar sorvete, sobretudo de sabores regionais, e, também, para contemplar a natureza.

Nascido em Brasília, o servidor público Thiago Alves, 35 anos, mora no município paraense de Tucumã e está passeando em Belém. “No sul do Pará é muito quente também. Mas a gente não tem a oportunidade de sentar à beira do rio, contemplar o rio e tomar um sorvete. Uma forma de unir o útil ao agradável”, contou ele, que também comprou uma garrafa de água mineral.

VEJA MAIS

Menino de 5 anos pede mais de R$ 6 mil em sorvetes pelo celular do pai
A criança usou o cartão de crédito do pai, que se assustou com a compra

Tá com vontade de doce? Faça um sorvete caseiro delicioso
Essa receita refrescante e saborosa vai se tornar sua sobremesa preferida

“Nesse calorzão, nada melhor que um sorvete de açaí com tapioca. Pra que melhor que isso?”, acrescentou, enquanto, em seguida, contemplava as belezas da baía do Guajará. A fisioterapeuta Jaina Barreto, 27 anos, e o namorado, o publicitário Nayron Marinho, 26, moram em Marabá, no sudeste paraense. Ambos estão a passeio em Belém e aproveitaram para saborear um sorvete de tapioca. “O Pará em si é muito quente. Ainda acho Belém menos quente que Marabá. Pelo menos em Belém chove”, afirmou Jaina.

Helena Aguiar e as filhas moram em Marabá e estão passeando em Belém. “Para refrescar, temos muitas opções, entre elas o sorvete”, disse Helena. (Ivan Duarte/O Liberal)

A alternativa, portanto, explicou, é procurar espaços que tenham área abertas. “Para pegar um vento, e tomar um sorvete, para dar aquela refrescada. Aqui encontra o sorvete, um clima legal, um vento bacana”, afirmou. A terapeuta ocupacional Helena Aguiar, 33 anos, mora em Castanhal, no nordeste paraense, e, com as filhas, Naiemily, 16 anos, e Hellen, de 10 anos, está a passeio em Belém. Ela comentou o quanto o tempo é quente no Pará. “E, para refrescar, temos muitas opções, entre elas o sorvete”, disse ela, que pediu um de coco. “A gente aproveita, contempla a natureza, pega um vento e foge um pouquinho do sol”, disse.

Trabalhando em uma tradicional sorveteria da capital, e que tem um ponto na Estação das Docas, o atendente Ewerton Sousa disse que, no verão, aumenta bastante a procura por sorvete. Ele explicou que não havia como precisar a quantidade vendida nesse período. E, entre os sabores mais procurados, citou o carimbó (castanha-do-pará com doce de cupuaçu), açaí, tapioca e bacuri. “Também procuram muito o de taperebá, que é mais refrescante”, disse Ewerton. A procura aumenta ainda mais nos finais de semana, por causa dos turistas de fora do Pará.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM