Divisão de Homicídios investiga morte de policial civil

Investigador Félix foi assassinado em frente à delegacia que trabalhava, em Ananindeua

Redação Integrada

A Polícia Civil (PC), por meio da Divisão de Homicídios, informou que investiga desde a noite deste sábado, 01, as circunstâncias da morte do investigador de Polícia Civil Cândido Félix Rodrigues Santana. O investigador tinha 69 anos e mais de 40 anos de serviço público. O crime ocorreu por volta das 21h de sábado, 01, na Rua São Raimundo dentro de um mercadinho, localizado em frente à Delegacia do bairro do Atalaia, em Ananindeua, na Região Metropolitana. Informações iniciais são de que estavam de plantão dois investigadores na Delegacia, quando um deles saiu a serviço da Unidade Policial, ficando o investigador Félix no local.

Por volta das 21h, a vítima saiu da Delegacia e foi até o mercadinho para comprar um lanche. Ainda segundo a Polícia Civil, enquanto o policial estava no local, foi surpreendido com disparos efetuados por um homem que, após os disparos, saiu em fuga levando a pistola calibre .40 do policial. Dois veículos foram vistos no local do crime: um carro prata - possivelmente um Honda Civic - e um carro preto que seria um Corolla.

Após os disparos no policial, foram efetuados outros em direção ao prédio da Delegacia, estilhaçado uma porta de vidro do local. De imediato, policiais civis do Grupo de Pronto-Emprego (GPE), equipe tática da Polícia Civil, foram enviados ao local para dar apoio aos policiais civis da Divisão de Homicídios foram acionados na apuração dos fatos.

O local do crime foi isolado por PMs até a chegada das equipes de peritos criminais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e da remoção. Policiais civis da Diretoria de Polícia Metropolitana também estiveram no local para auxiliar as investigações.

Equipes de investigação ainda trabalham na apuração dos fatos visando a identificação dos envolvidos no crime. O corpo foi removido ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, onde a família aguardava liberação para sepultamento. A Polícia Civil providenciou um ônibus para ajudar no transporte da família. Ainda de acordo com a Assessoria de Comunicação da Polícia Civil, a Diretoria de Atendimento ao Servidor (DAS) da Polícia Civil está prestando todo apoio aos familiares por meio de atendimento psicossocial.

O corpo é velado no Distrito de Mosqueiro, na Avenida Francisco Xavier, no bairro Maracajá, e o sepultamento será às 8h desta segunda, 03. “A Polícia Civil lamenta profundamente a morte violenta do investigador Félix e garante que não vai descansar até que todos os envolvidos no crime sejam presos”, diz a nota.

Belém