Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Devoção a Nossa Senhora de Fátima reflete a religiosidade dos paraenses

Mensagem da Mãe de Jesus é de esperança e paz, permanece atual e ecoa entre devotos paraenses

O Liberal

No dia dedicado à santa, em 13 de maio, a devoção dos paraenses a Nossa Senhora do Rosário de Fátima é realçada pelo relato e sentido das aparições ocorridas a três pastorinhos na Cidade de Fátima (Lúcia, Francisco e Jacinta), em Portugal, reforçando o amor e zelo da Mãe de Jesus pela Humanidade.  A mensagem de Fátima, ao contrário do tom assombroso atribuído a ela, reforça a fé e esperança por um mundo mais fraterno. 

Ao participar do programa “Liberal entrevista”, nesta quinta-feira (12), em que foi entrevistado pelo jornalista Daniel Nardin, diretor de Conteúdo do Grupo Liberal, o padre Cláudio Pighin, da Arquidiocese de Belém, destacou aspectos que demonstram essa relação muito forte dos fiéis, em especial dos paraenses, com as aparições e mistérios de Fátima. “Uma história sem uma luz de fé se torna uma história vazia e perigosa”, afirmou padre Cláudio, ao se referir à necessidade da experiência das pessoas com Deus.

VEJA MAIS

Procissão das Velas: fiéis lotam santuário em devoção a Nossa Senhora de Fátima
A manifestação de fé reuniu cerca de 300 mil devotos após dois anos suspensa devido à pandemia da covid-19

O dia 13 de maio remonta ao relato de que três pastorinhos estavam em Fátima, Portugal, e tiveram uma revelação de Nossa Senhora justamente neste dia (em 13 de maio de 1917, aconteceu a primeira revelação). E por seis meses, no dia 13, com exceção de agosto, que foi no dia 19, ocorria aparição de Nossa Senhora do Rosário nesta cidade. 

No entanto, como relatou padre Cláudio Pighin, a história começou um pouquinho antes, em 1916, quando os pastorinhos tiveram revelação dos anjos como a prepará-los para a grande visão. Padre Cláudio observou ser importante se compreender o contexto das aparições, marcado pela Revolução Russa com desmembramentos em outras nações, a perseguição aos cristãos e a eclosão da Primeira Guerra Mundial. Então, como frisou, as aparições se configuram como uma “resposta de fé”, com uma linguagem simbólica específica que necessita ser assimilada pelas pessoas. 

Como os cristãos eram perseguidos por pessoas que não se identificavam com o credo, foi, então, que as aparições vieram abordar a conversão, a penitência e, sobretudo, a Oração do Terço, do Rosário. As aparições se deram em Fátima, uma cidade bem simples, mas a mensagem de Nossa Senhora se espraiou pelo mundo. 

Padre Cláudio Pighin: mensagem de Fátima é de fé de esperança (Foto: Reprodução)

 

Mensagem

Nas revelações, se tem o Segredo de Fátima, dividido em três partes, sendo as duas iniciais reveladas em seguida, e a outra foi entregue ao bispo local e chegou ao Vaticano. Nossa Senhora pediu à irmã Lúcia que não abrisse o documento com a terceira parte da mensagem até os anos 60, mas foi então tornada pública no papado de São João Paulo II, que sofreu um atentado em 13 de maio de 1981. Essa parte da mensagem abordou setas teriam afetado um bispo vestido de branco, simbolizando os ataques do ateísmo, do comunismo aos cristãos.

A primeira parte da mensagem refere-se ao inferno; a segunda parte previa até a Segunda Guerra Mundial e abordava a conversão dos descrentes da Rússia.

“A mensagem de Nossa Senhora de Fátima permanece atual; por isso é que se tem muita devoção a ela”, observou padre Cláudio Pighin, que chegou a celebrar missa no local das aparições. “A história é um testemunho de fé da nossa vida que não tem data; precisa sempre fazer essa experiência de fé para compreender a nossa realidade, a nossa história. Uma história sem uma luz de fé se torna uma história vazia ou perigosa”, enfatiza padre Cláudio. 

Ao contrário de um tom macabro, a mensagem de Fátima mostra o perigo que se vive ao se afastar de Deus, porque “por meio da oração nós podemos reverter os caminhos da Humanidade marcados por tristeza, guerras, violência e desconfiança também”. O obstáculo para a fé em Cristo é o egoísmo, como ressaltou o padre Cláudio Pighin. 

Mas, Nossa Senhor acompanha a Humanidade em momentos e locais variados da história, daí recebendo nomeações próprias, como Nossa Senhora de Fátima e Nossa Senhora de Nazaré. E sempre é Maria presente. “Se ela teve a capacidade de ser a primeira cristã, também nós podemos imitá-la”, finalizou.

Icoaraci

Nesta sexta (13), Dia de Nossa Senhora de Fátima, haverá programação para celebrar os 105 anos da aparição de Nossa Senhora e o 55° aniversário de criação da paróquia em Belém. A programação começa às 6h30, com Missa Solene, presidida pelo padre Adalberto Brandão, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Icoaraci. Após a missa, sairá uma carreata com a imagem de Nossa Senhora de Fátima para a  paróquia dedicada à santa no distrito. Ao longo do dia, a paróquia ficará aberta à visitação e celebrações. 

Em Icoaraci, a Procissão Luminosa é realizada no dia de Nossa Senhora de Fátima, 13 de maio, após a missa das 18h, presidida pelo Padre Agostinho Cruz, na Paróquia São João Batista e Nossa Senhora das Graças (Praça Pio XII, 148 – Icoaraci) de onde sairá a procissão com destino a Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM