Belém registra grande procura no Dia D de Vacinação

Na capital e distritos, serviço foi oferecido em 79 postos na manhã deste sábado

Redação Integrada

Foi grande o movimento de pessoas, sobretudo famílias com crianças, em busca de vacinas nos postos de saúde de Belém, na manhã de ontem (17), no Dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Paralisia Infantil (Poliomelite), de Multivacinação e contra o Sarampo. A ação começou às 8h e, por volta das 10h, no posto do bairro Guamá, na Barão de Igarapé-Miri, as filas de espera já começavam a crescer, mostrando a demanda e consciência da população.

Na capital, o atendimento ocorreu em 79 locais, entre eles, Outeiro, ilha do Combu e Grande Belém, até às 17h de ontem, e seguirá até o dia 30 de outubro, nas salas de vacinação do município, de segunda a sexta-feira.

A dona de casa Flaviana dos Santos, 29, chegou cedo ao posto de saúde do Guamá com a filha Maria Eduarda Reis, de 4 anos, para vacinar. “Hoje ela tomou a febre amarela. Procuro sempre manter a caderneta delas em dia, tenho mais duas filhas, então, não deixo atrasar nem vacina, nem consulta, porque é sempre bom tá cuidando da saúde, sobretudo nessa pandemia. Procuro ter todos os cuidados possíveis e foi bem rapidinho”, contou.

A campanha tem como objetivo diminuir a incidência de doenças imunoprevisíveis (Igor Mota/O Liberal)

A ação contra a Paralisia Infantil (Poliomelite) teve como público-alvo crianças de 12 meses a menores de cinco anos; a de Multivacinação, crianças e adolescentes até 14 anos que precisam atualizar a situação vacinal; e a de Sarampo, dirigida para pessoas de 20 a 49 anos. A meta é imunizar 79 mil crianças contra a pólio. Já a de sarampo pretende vacinar 700 mil pessoas. A campanha de multivacinação, que disponibilizará 18 tipos de vacinas, não há meta.

A coordenadora do Programa Municipal de Imunizações da Secretaria de Saúde de Belém (Sesma), Nazaré Athayde, explica que são campanhas diferentes, mas todas com a meta de oportunizar a vacina para quem precisa ou está com a imunização pendente. “Já que é uma ação de atualização de calendário, a família chega, se verifica a caderneta de vacinação da criança e se faz a vacinação adequada pra idade, naquele momento, que ela está precisando", detalhou.

Segundo a coordenadora, a campanha do sarampo está acontecendo desde março e, devido à baixa procura, foi prorrogada. “Como é um sábado, a gente acredita que as pessoas têm um tempinho maior, ficam mais à vontade, então devem procurar um posto de vacinação para imunização, o momento é esse”, complementa. “As unidades de saúde estão tranquilas, preparadas e obedecendo o protocolo da covid-19”, garantiu Athayde.

O ajudante de serviços gerais Pablo Silva da Conceição, 28, também levou a filha Emily Alana, 4, para imunizar contra a febre amarela. “Ela tá com a caderneta em dia. Sempre quando tem campanha eu e minha mulher estamos atentos pra não atrasar. Temos que nos cuidar, ta com essa pandemia aí né que se Deus quiser vai acabar logo”, disse.

A secretária Valdirene Maciel, 48, trouxe a neta e acha importante a vacinação. “Evita várias complicações, principalmente, doenças que são prejudiciais às nossas crianças. Pra mim, é importante, vacinei todos os meus filhos e acho fundamental que minha neta também seja imunizada da mesma forma contra as doenças. Vim cedo pra não ter problema e evitar muita gente no posto”, afirmou.

A campanha tem como objetivo reduzir o risco de reintrodução do poliovírus selvagem no país, oportunizar o acesso às vacinas, atualizar a situação vacinal, aumentar as coberturas vacinais e homogeneidade, diminuir a incidência das doenças imunopreveníveis e contribuir para o controle, eliminação e/ou erradicação dessas doenças.

A Sesma ressalta que a vacinação é o caminho para a prevenção de diversas doenças. Muito além da prevenção individual, a vacina protege também toda a população, ajudando no controle de surtos de doenças e evitando o agravamento daquelas que já haviam sido erradicadas ou controladas, como o sarampo, por exemplo. Por isso, a importância de se buscar a proteção.

Serviço:

As campanhas seguem até o dia 30 de outubro, nas salas de vacinação do município, que funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Ao procurar uma unidade, é obrigatório o uso de máscaras e é fundamental respeitar as medidas de distanciamento entre pessoas e de higienização das mãos, considerando o cenário da pandemia do novo coronavírus. É obrigatório apenas um acompanhante por criança.

Em Belém, todas as Unidades Municipais de Saúde (UMSs) e Estratégias Saúde da Família (ESFs) com salas de vacina oferecem o serviço, bastando levar a Carteira de Vacinação. Na ausência do cartão, o usuário deve procurar a Unidade de Saúde mais próximo da residência para resgatar o histórico de vacinas e providenciar uma 2ª via.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM