Atos em memória de vítimas do trânsito no Pará ocorrem entre Belém e Marituba

Ciclistas percorrem BR-316 até Marituba enquanto culto ecumênico ocorre no Metropolitano

João Thiago Dias

Culto ecumênico, um passeio cicístico pela BR-316 e ações em praça pública marcam neste domingo ações que ocorrem em Belém, Ananindeua e Marituba em memória das vítimas de acidentes de trânsito. Grupos se reúnem em lembrança ao ao Dia Mundial das Memórias às Vítimas de Acidentes de Trânsito, tradicionalmente programado para todos os terceiros domingos de novembro. Esta manhã, programações abrangeram o Parque do UItinga, o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência e também a Praça Matriz de Marituba. Por volta das 9h, dezenas de ciclistas cruzavam a barreira do Detran na BR-316 em Ananindeua. Veja imagens:

LEIA MAIS:
- Trânsito é interrompido no quilômetro 4 na BR-316 esta manhã

A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU). No Pará, algumas das ações são coordenadas pelo Departamento de Trânsito do Estado (Detran-PA).

Dezenas de ciclistas de Belém, Ananindeua e Marituba participaram, na manhã deste domingo de um passeio ciclístico em alusão à data. Eles saíram, por volta 7h30, do Parque Estadual do Utinga, realizando algumas paradas para hidratação e homenagem às vitimas, pela avenida João Paulo II e rodovia BR 316, até a Praça Antônio Perdigão, conhecida como Praça Matriz de Marituba. A realização é da Prefeitura de Marituba, por meio da Secretaria de Segurança Pública e Mobilidade Urbana (Segmob), em parceria com o Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran). Na praça, a programação contou com culto ecumênico, distribuição de laços pretos, sorteio de brindes, café da manhã e apresentação da banda da Gestão de Apoio à Educação Especial e Inclusiva (Gapei). 

O Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trânsito foi instituído pela Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2005. A ação tem o objetivo de conscientizar a população e homenagear mais de 42 milhões de pessoas que perderam suas vidas em acidentes de trânsito.

Culto deu voz a mensagens de vítimas 


Aberta ao público, outra programação iniciou nas dependências do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), ainda às 8h30, com apresentação musical da banda da Guarda Municipal. Às 10h, o hospital também realiza um culto ecumênico em memória às vítimas e também com depoimentos de sobreviventes e familiares de vítimas de acidentes de trânsito.

As programações deste domingo foram realizadas em parcerias de diversos órgãos, incluindo a Associação Vida Pará, coletivos de ciclistas Pará Ciclo, Byke Belém, Pedala Mana, Bike Anjos, Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Pará (OAB-PA), Guarda Municipal de Belém, Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), Hemopa e universidade da Amazônia (Unama).

Dados de 2019 levantados pelo Detran-PA mostram que foram registrados 9.269 acidentes em todo o Pará, até abril deste ano. Os seis principais fatores de risco nas vias, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), são a falta de uso do capacete, cadeirinhas de retenção para crianças e cinto de segurança, além do uso do celular, do excesso de velocidade e direção sob efeito de álcool.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM BELÉM