Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Ato na BR-316 pede justiça a ciclista morta no sábado, respeito e segurança

Cláudia Loureiro foi atropelada por um motorista que disputava um racha, perto de Castanhal

Victor Furtado

Coletivos de ciclistas se reuniram, na manhã deste domingo (18), para um ato simbólico pela morte de Cláudia Loureiro, de 37 anos. Ela foi atropelada e morta por um motorista, ainda não identificado, na madrugada deste sábado (17). Ela, junto a outros ciclistas, faria uma pedalada de Belém a Salinópolis. O passeio esportivo foi interrompido por um racha na rodovia BR-316, em Castanhal. O condutor do veículo fugiu sem prestar socorro. Não há informações sobre o outro carro envolvido no racha, que é crime.

LEIA MAIS:
Suspeito de atropelar e matar ciclista em Castanhal se apresenta à polícia

Ciclista morre atropelada por carro que participava de 'racha' perto de Castanhal
Desprezo de motoristas é o maior desafio na Grande Belém, dizem ciclistas
Mesmo em ciclovias e ciclofaixas, ciclistas convivem com insegurança

O local onde Cláudia morreu, no km 55 da BR-316, foi o ponto onde os manifestantes se reuniram. Fizeram uma oração e cobraram que a Polícia Civil seja célere nas investigações e na captura do motorista que matou a ciclista e praticante de rappel e pêndulo. Colegas desses outros esportes também participaram do ato simbólico. A mochila e o celular de Cláudia foram encontrados no matagal. Após o ato, os manifestantes seguiram até a Delegacia de Castanhal, onde entregaram esses itens.

"Claudinha", como era conhecida a ciclista, postou várias fotos nos grupos de redes sociais dos coletivos dos quais participava. Estava animada pela pedalada. Era mãe de duas meninas e era uma das fundadoras do coletivo de ciclistas Pedalextra. Foi velada na noite deste sábado e sepultada enquanto o ato ocorria. "Ela era uma mulher cheia de vida e de sonhos, uma amiga, uma esportista. A família acionou um advogado que está acompanhando o caso e tudo tem corrido em sigilo, para evitar que o culpado acabe fugindo", disse Daniele Macedo, amiga da família.

O celular de Cláudia, pedaços do carro que a atingiu e a mochila dela de esportes foram encontrados no meio do matagal, perto do local do acidente (Elivaldo Pamplona / O Liberal)

"Estamos pedindo justiça e também que as autoridades tomem alguma providência para garantir a vida, respeito e segurança dos ciclistas. Que tenhamos placas, ciclofaixas, ciclovias. Segurança para ciclistas, em memória da Claudinha e em memória de outro amigo que perdi aqui na BR, o Duda, Dudinha! Nós ciclistas somos uma família, cansada de perder nossos entes", disse Arnaldo Santos, de coletivos de ciclismo de Castanhal.

A Polícia Civil informou, em nota, que "...o inquérito policial que investiga o caso continua sendo apurado. Imagens de câmeras de monitoramento já foram solicitadas e testemunhas ouvidas e outras intimadas a prestar depoimento. A PCPA ressalta que o disque denúncia 181 está à disposição para receber informações sobre o fato. O sigilo é garantido e não é preciso se identificar",  Cláudia, apontam testemunhas, foi atropelada por um Honda Civic branco, que fugiu em direção a Salinópolis.

Belém
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

ÚLTIMAS EM BELÉM

MAIS LIDAS EM BELÉM