Torres diz ao STF ter recebido notícia da prisão como ‘um tiro de canhão no peito’

No documento da audiência de custódia, ex-ministro diz que 'jamais questionou resultado das eleições'

O Liberal
fonte

O ex-ministro da Justiça e ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres, disse ao Supremo Tribunal Federal (STF) ter recebido a notícia de sua prisão como “um tiro de canhão no peito”, e que "jamais questionou o resultado das eleições", pois, segundo ele, não faz parte da "guerra ideológica" instalada no Brasil. As informações são do G1 nacional.

Torres foi preso após o ministro do STF Alexandre de Moraes entender que possa ter havido omissão de Torres na função de secretário de Segurança do DF durante os atos golpistas e de vandalismo no dia 8 de janeiro, em Brasília (DF).

VEJA MAIS

image Justiça autoriza microondas, TV e pedido de delivery por Anderson Torres em prisão
No local onde Anderson Torres está preso não há grades. No espaço, existe uma sala de reuniões, composta por um sofá e uma mesa com quatro cadeiras.

image Anderson Torres fica em silêncio durante depoimento à Polícia Federal
Ele disse que não tinha declarações a dar aos investigadores

image TSE inclui minuta apreendida pela PF na casa de Torres em ação contra Bolsonaro
Ministro Benedito Gonçalves deu prazo de três dias para que o ex-presidente se manifeste sobre o documento

As declarações do ex-ministro fazem parte da ata da audiência de custódia à qual foi submetido ao ser preso pela Polícia Federal (PF), em 14 de janeiro.

"O Ministério de Justiça e Segurança Pública foi o primeiro ministério a entregar os relatórios da transição. Eu jamais questionei resultado de eleição, não tem uma manifestação minha nesse sentido, eu fui o primeiro ministro a entregar os relatórios", afirmou Anderson Torres.

O ex-secretário também negou ter envolvimento com as depredações nos prédios dos Três Poderes.

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA