Fenaj alerta para decisão do STF sobre declarações de entrevistados: 'atenção redobrada'

A presidente da entidade, Samira de Castro, observa riscos com transmissões 'ao vivo'

O Liberal
fonte

A presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Samira de Castro, frisou a necessidade de "atenção redobrada", nas palavras dela, sobre as entrevistas ao vivo. A observação da jornalista refere-se à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que fixou uma tese, nesta quarta-feira (29), com critérios que podem responsabilizar veículos de imprensa por declarações de entrevistados imputando falsamente crimes a terceiros.

Para a titular da Fenaj, "a tese traz um grau de responsabilização minimamente condizente com as nossas preocupações de resguardo da liberdade de imprensa e de expressão", disse ela. Ela destacou que os veículos vão precisar de "atenção redobrada" durante as entrevistas ao vivo, quando é mais difícil fazer uma checagem das declarações do entrevistado. 

VEJA MAIS 

image Bolsonaro ironiza levantamento da Fenaj sobre ataques à imprensa
Bolsonaro foi responsável por 121 desses casos, segundo a Fenaj, ou 58% do total

image Por decisão do STF, jornais podem ser responsabilizados por entrevista
Corte definiu nesta quarta-feira (29), a tese fixada na análise de uma ação que trata de uma entrevista publicada em 1955 pelo jornal Diário de Pernambuco

"Esse dever de cuidado que o ministro (Alexandre de Moraes) cita na tese é na verdade o fato de você ouvir o outro lado, dar espaço para o contraditório na medida em que o seu entrevistado impute o que posteriormente for chamado de falso crime, calúnia, injúria e difamação, enfatizou Samira de Castro.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA