Câmara aprova projeto que facilita ida de Mercadante para o BNDES; entenda o que muda

Matéria aprovada pelos deputados flexibiliza regras da Lei das Estatais que dificultam a nomeação de políticos para a presidência e diretoria de empresas públicas

O Liberal
fonte

Foi aprovado nesta terça-feira (13), pela Câmara dos Deputados, o texto-base de um projeto de lei que modifica dispositivos da Lei das Estatais, flexibilizando restrições que dificultam a nomeação de políticos para presidência e diretorias de empresas públicas.

O texto aprovado permite que a indicação para estatais de pessoas que tenham se desligado da atividade política pelo menos 30 dias antes da posse.  Atualmente, a lei proíbe que dirigentes de campanhas eleitorais assumam altos cargos nas estatais nos 36 meses seguintes. Ou seja, o projeto reduz esse prazo de 36 meses para 30 dias.

VEJA MAIS

image Aloizio Mercadante é anunciado como futuro presidente do BNDES
Lula fez o anúncio durante evento que marcou o fim dos trabalhos da equipe de transição

image Ministro da Defesa de Lula será um civil, afirma Mercadante, que garante: 'Uma bela surpresa'
Coordenador do grupos temáticos do Gabinete de Transição, Aloizio Mercadante, disse, ainda, que o grupo de ministros está praticamente definido

image Veja quem são os futuros ministros do Governo; nomes foram anunciados por Lula nesta sexta
Foram confirmados os nomes de Fernando Haddad, Flávio Dino, Rui Costa, José Múcio e Mauro Vieira

Na prática, a mudança abre caminho para a indicação de nomes como o do ex-ministro Aloizio Mercadante (PT), anunciado nesta terça-feira (13), pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, para presidir o BNDES.

A alteração na Lei das Estatais ainda precisa ser aprovada pelo Senado e enviada à sanção presidencial.

Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA