CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X

Apresentador Datena lança pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo pelo PSDB

Datena afirma que deixará a apresentação de seu programa na Band apenas no prazo exigido pela legislação eleitoral; confira

Pedro Augusto Figueiredo / AE
fonte

O apresentador José Luiz Datena (PSDB) disse ao Estadão/Broadcast que deixará a apresentação de seu programa na Band apenas no prazo exigido pela legislação eleitoral, a partir do dia 30 de junho, e que não desembolsará "um tostão" para bancar a campanha eleitoral. Segundo ele, a tarefa caberá ao PSDB. O agora tucano lança nesta quinta-feira (13.06) às 10h30, sua pré-candidatura a prefeito de São Paulo.

Lideranças nacionais do PSDB estarão presentes, como o presidente do partido, Marconi Perillo (PSDB), que se reuniu com Datena na quarta-feira, 12, para acertar estratégias de campanha, o deputado federal Aécio Neves (PSDB) e o ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), que articula candidatura a prefeito de Curitiba.

image Datena pede demissão e anuncia que fará duas cirurgias
Apresentador pediu demissão do seu cargo na Rádio Bandeirantes e o afastamento do Brasil Urgente, na Band.

image Datena conta que caiu em golpe de mensagem e fala com bandido ao vivo; vídeo
Apresentador disse que essa seria mais uma tentativa de golpe.

É a quinta vez que o apresentador ensaia trocar o jornalismo pela política. Nas quatro anteriores, ele recuou de candidaturas para prefeito e vice-prefeito da capital paulista e, por duas vezes, para senador. O sentimento no PSDB é de que Datena finalmente estará nas urnas em outubro, mas mesmo os mais otimistas mantêm um pé atrás e admitem que o pré-candidato é imprevisível.

Questionado se será mesmo candidato a prefeito, Datena responde que a pergunta é "pleonasmo" diante do evento marcado para esta quinta. Ele pontua, porém, que há outras datas importantes no horizonte, como a convenção partidária entre a segunda metade de julho e o início de agosto e último passo antes do registro da candidatura na Justiça Eleitoral.

"Não vou sair (do ar) antes do prazo. Não tem motivo para isso", declara o apresentador ao ser perguntado sobre se poderia antecipar o momento em que deixará o programa televisivo. "Só que a partir do momento que eu lançar a minha pré-candidatura, não comento mais política na televisão, porque é injusto. Eu não falo mais nada sobre ninguém. Apresento o programa policial".

Uma ala do PSDB considera que o partido demorou a articular uma candidatura própria e que Datena pode sofrer com falta de recursos e de estrutura partidária. O ideal, segundo essa corrente, é que a pré-candidatura tivesse sido construída ainda no ano passado.

image Qual a idade mínima para ser vereador no Brasil? Veja o que diz a lei
Dentre os cargos eletivos no país, o de vereador é o que exige a idade mais baixa

image PF realiza operação contra desvios nos fundos partidário e eleitoral nas eleições de 2022
Operação Fundo no Poço cumpre sete ordens de prisão preventiva

De acordo com projeção da fundação 1º de Maio, os tucanos terão R$ 156 milhões em recursos do Fundo Eleitoral para financiar candidaturas de prefeito e vereador em todo o País. O montante é inferior aos R$ 170 milhões recebidos pela sigla há quatro anos, em valores já corrigidos pela inflação.

"Eu não vou colocar um tostão", afirma Datena. "Quem banca a campanha claro que é o partido. Não sou o Doria que tem um bilhão de dorias. É o caminho convencional de financiamento via partido", declarou.

O apresentador também terá que lidar com uma legenda que reconhece abertamente que perdeu força nos últimos anos e passa por um processo de reconstrução. Não há, por exemplo, vereadores para ajudá-lo na campanha: os oito eleitos pela sigla em 2020 se filiaram a partidos aliados do prefeito Ricardo Nunes (MDB) e o apoiarão.

Integrantes da cúpula do PSDB reconhecem que seria mais fácil uma campanha com a ajuda dos vereadores, mas ponderam que o partido ainda tem diretórios zonais organizados em todas as regiões de São Paulo e que Datena é muito conhecido entre os eleitores.

image Convenções partidárias definem os rumos das candidaturas no Pará; veja quando elas começam
Eleições 2024: Nas convenções, partidos oficializam a escolha de seus candidatos para os cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador

image MP Eleitoral do Pará ajuíza novas ações contra partidos, que podem ficar foras das eleições
Alguns processos contra diretórios partidários estão em tramitação, outros, já estão com situação definida

Além disso, afirmam que, embora a sigla tenha menos recursos que outros concorrentes, há dinheiro suficiente para bancar a candidatura na capital paulista, maior cidade do Brasil e que será tratada como prioridade. Também são elencados como importantes as pré-candidaturas de Richa na capital paranaense e de João Leite (PSDB) em Belo Horizonte.

"Estive com ele conversando sobre estratégias de campanha e plano de governo. Não lhe faltará apoio", afirma Marconi Perillo, que se encontrou com Datena na quarta-feira, 12.

Há também um empecilho prático: pessoas que organizaram eventos com Datena recentemente relatam que há uma preocupação extra com a segurança dele devido ao teor do programa na Band que tem como foco a cobertura de crimes em São Paulo e as duras críticas do apresentador aos acusados de cometê-los. A avaliação é que isso poderia, por exemplo, dificultar agendas de rua durante a campanha.

Desde o início do processo eleitoral, o PSDB dizia manifestar preferência pelo lançamento de uma candidatura própria, mas a ausência de nomes viáveis diante do enfraquecimento do partido nos últimos anos surgia como empecilho. A dificuldade foi superada em abril, quando a também pré-candidata Tabata Amaral (PSB) articulou a ida de Datena para a legenda em uma tentativa de conseguir o apoio dos tucanos e ter ele como vice.

Na filiação, o jornalista declarou que sua vontade era estar ao lado da deputada, de quem se disse fã, mas não cravou uma chapa, que afirmou depender do acerto entre PSB e PSDB. Naquele momento, Datena disse que um de seus objetivos era disputar uma cadeira no Senado em 2026.

Tabata e seu entorno demonstram ceticismo que o apresentador será mesmo candidato a prefeito, mas argumentam nos bastidores que, caso isso ocorra, ele não tira votos dela, conforme as pesquisas mais recentes. O PSDB é visto como importante por causa do histórico de governos na capital paulista, mas se a aliança não prosperar, a deputada deve buscar o apoio de outras legendas.

image Deputado federal Gustavo Gayer compara nordestinos a galinhas
Gustavo Gayer (PL-GO) é também pré-candidato à prefeitura de Goiânia nas próximas eleições

image Polarização e cabos eleitorais no Pará: saiba o que está em jogo nas Eleições 2024
Em Belém, analistas políticos mostram tendências, mas acreditam que as eleições têm dinâmicas próprias

A posição do PSDB é de não conversar com outros candidatos neste momento. As negociações serão reabertas somente após uma eventual desistência de Datena. Como mostrou o Estadão, o grupo liderado por Aécio prefere apoiar a deputada do PSB a Nunes, mas sob a condição de Tabata não se aliar a Boulos no segundo turno.

"Vocês vão se surpreender com o que vai sair desse caldo em relação ao PSDB, ao Datena. Tem muita coisa acontecendo e estou com muita paciência nesse processo. A gente vai ter uma definição em breve", disse Tabata em sabatina promovida pelo canal MyNews em parceria com a Reag Investimentos na semana passada.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Política
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍTICA

MAIS LIDAS EM POLÍTICA