Vice-prefeito de Salvaterra é detido transportando madeira sem documentos

O chefe de gabinete da prefeitura classificou o episódio como "grande mal entendido"

O vice-prefeito de Salvaterra, município no arquipélago do Marajó, Carlos Alberto Gomes, foi conduzido para a delegacia do município após ser flagrado com toras de madeira com origem não comprovada, em um reboque que ele conduzia com sua caminhonete, na tarde desta quarta-feira (10).

Segundo o que foi registrado na delegacia, o vice-prefeito disse que fazia um favor a um taxista, chamado Antônio Carlos Trindade Pereira, que teria ganhado as toras de um dono de empresa fluvial. O homem pediu ao vice-prefeito ir ao porto da balsa do Camará para pegar a madeira e levar até sua casa, pois as madeiras teriam caído de uma embarcação e, por isso, foram doadas ao taxista.

Quando Carlos Gomes chegou até a entrada da Cidade, foi abordado por uma guarnição da Polícia Civil, que pediu que ele mostrasse o documento da carga. Como o vice-prefeito não tinha, ele foi levado até a delegacia. 

Tanto o vice-prefeito quanto o taxista foram responsabilizado na Lei de Crimes Ambientais (9605/98), em boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Salvaterra. Ambos também se responsabilizaram a comparecer ao Fórum do município em agosto para prestar esclarecimentos. Ao telefone, o chefe de gabinete da prefeitura Cirano Brito classificou o caso como "um grande mal entendido", e disse que o vice-prefeito está em liberdade e já teve seu carro devolvido. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!