Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Sete pessoas são presas suspeitas de venderem vagas em fila e agredir clientes de banco no Marajó

Segundo a polícia, os suspeitos chegavam até a agredir de forma física e verbal as vítimas que aguardavam entrar na agência bancária

O Liberal

Josué Ferreira da Rocha, conhecido como “Joca”, e mais seis pessoas, que não tiveram os nomes divulgados, foram presas em flagrante pela Polícia Civil (PC) na noite de terça-feira (13), suspeitos de praticarem os crimes de extorsão, ameaça e associação criminosa contra clientes de um banco de Breves, no Marajó. Josué foi apontado pela autoridade policial de ser o líder do grupo. Celulares e uma quantia em dinheiro, que também não teve o valor revelado, foram apreendidos com os suspeitos

VEJA MAIS

PM prende supostos membros de facção que planejava assalto a banco com uso de explosivos no Pará
Os suspeitos negaram as acusações

Assalto em Ipixuna do Pará: segundo suspeito de roubo a banco é preso pela polícia
As investigações apontam que a função do suspeito seria monitorar a atividade da polícia e repassar aos assaltantes

Quarteto que planejava suposto assalto a banco é preso em Belterra
Os envolvidos foram levados para delegacia de Jacundá. Todos tinham passagens pela polícia.

Por meio da operação “Fila Marcada”, os policiais se dirigiram até uma unidade de uma agência bancária de Breves. No local, os agentes de segurança encontraram os setes possíveis envolvidos no delito

De acordo com a PC, os suspeitos atuavam, na maioria das vezes, em dias de pagamentos do Auxílio Brasil e outros programas ofertados pelo Governo como ajuda financeira. As vítimas relataram para à polícia que algumas pessoas as abordavam dizendo que iriam “guardar” suas vagas na fila, fora do prédio da agência, cobrando de R$ 50 a R$ 100 para permitir que elas ocupassem o espaço da fila. O valor mudava conforme o lugar fosse mais perto da porta da agência. 

Ainda segundo a polícia, as vítimas que recusavam a pagar o dinheiro eram supostamente coagidas, ameaçadas e até agredidas de forma física e verbal para deixaram o lugar da fila e e se posicionarem em distâncias maiores, em relação ao prédio da agência. Por medo, os beneficiários não procuravam realizar um boletim de ocorrência

Comerciante é preso por pintar feijão de verde para vender mais caro
Homem vendia feijão fradinho como se fosse feijão de corda

STF rejeita habeas corpus de defesa de mulher que roubou obras de arte da própria mãe
Ministra Rosa Weber negou liberdade aos presos que teriam roubado mais de R$724 milhões em quadros

Dupla armada assalta e leva toda renda de mercadinho em Tucuruí
Os suspeitos ainda não foram identificados nem presos. Eles seguem sendo procurados pela polícia

A investigação segue em andamento. A redação integrada solicitou mais detalhes sobre o caso à PC e aguarda retorno. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA