Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

‘Professora cimentada’: vídeo mostra o momento em que a polícia encontra o corpo

O corpo da professora Maria Mendonça foi encontrado no dia 31 de julho, "cimentado" no quintal da casa dela, em Belém

Ana Laura Carvalho

Um vídeo mostra o exato momento em que o corpo da professora aposentada Maria Mendonça dos Santos, 72 anos, foi localizado enterrado debaixo de uma calçada aos fundos do quintal da casa dela, no bairro de São Brás, em Belém. Na gravação obtida pela reportagem da TV Liberal, aparecem policiais e familiares da idosa.

Conforme as imagens, os policiais começam a cavar o local com enxadas. À medida que perfuram o solo, avistam um pano. Familiares reconhecem o tecido, no vídeo, mas não sabem confirmar se é uma colcha de colchão ou algum outro pano que pudesse ter na casa da professora.

VEJA MAIS

Professora cimentada: mais duas pessoas são suspeitas de envolvimento no homicídio, diz polícia
O delegado-geral da Polícia Civil do Pará (PCPA), Walter Resende de Almeida, confirmou a suspeita nesta quarta-feira (17). Segundo ele, não teria como o sobrinho e a ex-mulher executarem todo crime

'Professora cimentada': pertences da vítima foram apreendidos na casa da mãe de um dos suspeitos
O delegado Cláudio Galeno contou nesta quinta-feira (18) que a mãe de Jessyca Aniele de Araújo Silva não tem nenhum tipo de envolvimento no homicídio. O celular da professora estava escondido num fundo falso da bolsa de Jessyca e guardado na casa da própria mãe, em Belém.

'Professora cimentada': preso como suspeito, sobrinho nega participação no crime, diz polícia
Luiz Reginaldo Santos Mendonça, de 45 anos, apontado como suposto assassino, também responde por violência doméstica contra a ex-mulher que foi presa

O vídeo se encerra, mas o trabalho de escavação que terminou com a localização do corpo da professora Maria Mendonça, em avançado estado de decomposição continua.

O sobrinho da idosa, o motorista de aplicativo Luiz Reginaldo Santos Mendonça, de 45 anos, e a ex-mulher dele, Jessyca Aniele de Araújo Silva, 28 anos, são os principais suspeitos do crime. Os dois foram presos na última quarta-feira (17) e encaminhados para uma unidade prisional da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), onde estão à disposição do Poder Judiciário.

Professora 'cimentada' em São Brás: bagunça no imóvel causou estranheza a familiares
Maria Mendonça dos Santos, de 72 anos, foi encontrada morta e enterrada, no quintal da casa dela, na noite do último domingo (31)

Professora cimentada: Idosa foi morta a facadas no dia 13 de julho, diz polícia
Dois suspeitos foram presos e apresentados na tarde desta quarta-feira (17) na sede da Divisão de Homicídios, no bairro de São Brás, em Belém

Jessyca confessa o crime, mas Luiz nega. Apesar de ser apontado pela ex-mulher, ele afirma que ela quer prejudicá-lo. Luiz já tem passagens por violência doméstica contra Jessyca. O ex-casal tem dois filhos juntos.

Local onde a professora estava "cimentada" (Reprodução / redes sociais)

Quando o crime ocorreu?

As investigações da Polícia Civil apontaram que a professora Maria Mendonça foi morta no dia 13 de julho deste ano com, pelo menos, sete facadas, sendo uma delas na jugular. Todas as facadas teriam sido desferidas por Luiz. O corpo da idosa só foi encontrado no dia 31 do mesmo mês, depois que familiares desconfiaram do sumiço da professora e resolveram ir até o imóvel, que estava bastante revirado.

O cadáver estava enterrado no quintal da casa da professora e, por cima, foi construída uma calçada. Aquela construção, com aspecto de ter sido feita recentemente, chamou atenção dos parentes. Com a ajuda de policiais, eles cavaram e encontraram o corpo. O motivo do homicídio, de acordo com Jessyca, teria sido uma casa deixada pelo avô de Luiz que, supostamente, seria somente dele, mas acabou sendo vendida e o dinheiro dividido entre a família.

Luiz teria ficado apenas com uma pequena quantia. Para a polícia, com o assassinato da professora, os suspeitos pretendiam usufruir do dinheiro deixado por ela. A polícia identificou que, no dia do crime, Luiz fez diversas transferências, via pix, para a ex-mulher. Os valores somaram quase R$ 30 mil. A polícia não detalhou como Luiz teve acesso às senhas e aplicativos bancários de Maria Mendonça.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA