Procurador da República visita Aldeia São Pedro para investigar assassinato de jovem liderança Tembé

Durante audiência na Terra Indígena Alto Rio Guamá, familiares de Isac Tembé cobraram que a Justiça Federal assuma as investigações

Redação Integrada

O Ministério Público Federal (MPF), por meio do procurador da República Milton de Souza Júnior, visitou o povo Tembé Tenetehara na Terra Indígena Alto Rio Guamá, no sudoeste do Estado, na manhã desta segunda-feira (22), para investigar o assassinato do jovem líder Isac Tembé, ocorrido no último dia 6 de fevereiro. A audiência ocorreu na Aldeia São Pedro e contou com a presença de lideranças indígenas e familiares da vítima.

LEIA MAIS:
Jovem liderança Tembé é morta a tiros em Capitão Poço
- MPF cobra respostas para morte de jovem liderança indígena
Povo Tembé-Theneteraha exige punição para assassinos e mandantes da morte de líder indígena

De acordo com nota pública divulgada pelo povo Tembé Tenetehara, os indígenas cobraram que a Justiça Federal assuma as investigações, "por se tratar de um indígena que foi assassinado em área considerada zona de amortecimento do território Tembé".

Ainda segundo a nota, o procurador da República informou que o MPF pediu informações para a Polícia Militar, Polícia Civil e Fundação Nacional do Índio (Funai) sobre o assassinato, determinando um prazo de três dias para que as perguntas do órgão sejam respondidas.

"Além disso, o MPF sugeriu que a Universidade Federal do Pará (UFPA) possa auxiliar na elaboração do laudo antropológico na área onde supostamente Isac foi assassinado, para que seja identificado que é uma região de reserva e não uma fazenda particular de Nedio Lopes", disse o comunicado.

A reportagem solicitou nota ao MPF, à UFPA e à Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Segup) e aguarda resposta.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA