logo jornal amazonia

Polícia Civil prende suspeito de matar jovem de 14 anos com tiro na testa em Anajás

O crime ocorreu no dia 18 de outubro. O suspeito foi preso na manhã desta quinta-feira (10), na Delegacia de Homicídios, em Belém

O Liberal

O suspeito de assassinar uma adolescente de 14 anos com um tiro na testa, em Anajás, na ilha do Marajó, foi preso na manhã desta quinta-feira (10), em Belém. O crime ocorreu no dia 18 de outubro. A vítima mantinha união estável com o indivíduo. Após negociações com a Polícia Civil,  o homem de 21 anos, que estava até então foragido, compareceu à delegacia do município, onde foi cumprido o mandado de prisão temporária.

“Ele estava desaparecido há algumas semanas desde o dia do homicídio. Nós tivemos várias informações do paradeiro dele, monitoramos o suspeito e entramos em contato por diversas vezes para que ele se entregasse. Até que depois de várias negociações, a gente conseguiu fazer com que ele se apresentasse na Divisão de Homicídios hoje, em Belém, onde a gente cumpriu o mandado de prisão”, contou o delegado Luciano Batista. Agora, o suspeito encontra- se preso e à disposição da Justiça.

VEJA MAIS 

Adolescente é assassinada com tiro na testa pelo companheiro em Anajás
O suspeito fugiu logo após o crime. Diligências são feitas na tentativa de localizá-lo e prendê-lo

Projeto recebe doações para mulheres vítimas de violência
DPE criou o Arara das Manas como forma de enfrentar situações de violência patrimonial

Flordelis: amiga ‘treinou’ testemunhas para não envolver a ex-deputada no crime, diz neta
‘Se a gente falasse algo sobre a Flordelis, ela dizia que não’, contou a neta da pastora

A vítima foi morta dentro da residência onde os dois moravam, na zona rural do município de Anajás, na ilha do Marajó. Ela apresentava um segundo ferimento em uma das mãos, o que pode indicar que ainda tentou se defender. Na época, o suspeito fugiu logo após o crime. Familiares da adolescente relataram à polícia que o assassinato pode ter sido motivado por problemas no relacionamento, marcado por conflitos.

Depoimentos de amigos da vítima citam que existia ciúmes por parte do namorado. A polícia também investiga se a relação, iniciada quando a menor tinha 12 anos, era apoiada pela família da vítima. O casal mantinha união estável há cerca de dois anos. O laudo necroscópico mostrou que a jovem tinha duas perfurações causadas por arma de fogo, sendo uma na testa e outra na mão.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA