Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Pai é preso suspeito de abusar sexualmente da própria filha, em Breves

O homem foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Breves, onde está preso, à disposição da justiça; ele deverá responder pelo crime de estupro de vulnerável

O Liberal

​Um homem, que não teve identidade divulgada, foi preso na última quarta-feira (4), em Breves, na Ilha do Marajó. Ele é suspeito de abusar sexualmente da própria filha, uma adolescente de 14 anos. Policiais da Superintendência Regional de Polícia Civil (Sudepol) do Marajó Ocidental chegaram até o homem, após a vítima denunciar os abusos para a diretoria da escola onde estuda. Com informações do site Notícias Marajó.

VEJA MAIS

Pai é preso suspeito de estuprar as duas filhas durante seis anos Os crimes teriam acontecido dentro da casa do acusado

Justiça condena homem a 17 anos de prisão por estupro, tortura e violência doméstica, em São Miguel Ele cometeu os crimes contra a namorada  

Yanomami de 12 anos morre após ser estuprada por garimpeiro, afirma líder indígena Em vídeo publicado nas redes sociais, o líder indígena conta que garimpeiros invadiram a comunidade

De acordo com a Polícia Civil do Marajó, a vítima sofria os abusos do pai desde os oito anos, quando ainda era uma criança. Na quarta-feira, a adolescente teria chegado chorando à escola e comunicado à direção da instituição de ensino sobre um novo estupro. Imediatamente, a escola acionou o Conselho Tutelar e, então, a Sudepol​​ também foi comunicada.

A adolescente foi submetida ao exame sexológico, que apontou positivo para o estupro. De posse da confirmação, os policiais foram até a casa do suspeito e realizaram a prisão dele, antes que fugisse.

O homem foi conduzido para a Delegacia de Polícia Civil de Breves, onde está preso, à disposição da justiça. Ele deverá responder pelo crime de estupro de vulnerável. Segundo a PCPA, o caso é investigado sob sigilo.

Informações de que a mãe da adolescente sabia e compactuava com os abusos, obrigando a filha a tomar pílulas anticoncepcionais, chegaram a circular nas redes sociais. Mas a Polícia Civil não confirmou essa suspeita.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA