Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Justiça converte prisão preventiva para domiciliar a bolsonarista que matou petista

Para a defesa, o Complexo Médico-Penal de Pinhais, em Curitiba (PR) não tinha estrutura suficiente para receber o bolsonarista. Por ser agente penal federal, Guaranho deveria uma cela isolada dos demais detentos

Rayanne Bulhões

A Justiça converteu a prisão preventiva do policial penal, Jorge Guaranho, para domiciliar, nesta quarta-feira (10). O apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL) é acusado de matar a tiros o tesoureiro do PT Marcelo Arruda. A decisão foi tomada pelo juiz Gustavo Germano Francisco Arguello, da 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu. As informações são do Metrópoles.

Para a justiça, o Complexo Médico-Penal de Pinhais, em Curitiba (PR) não tinha estrutura suficiente para receber o bolsonarista. Para a defesa de Guaranho ele não consegue executar atividades básicas sem auxílio de outras pessoas e por isso o local não teria a estrutura necessária para recebê-lo.

VEJA MAIS

Policial bolsonarista atirou 3 vezes e petista efetuou 13 disparos, aponta laudo
Marcelo Arruda, tesoureiro do PT, foi morto a tiros na própria festa de aniversário, após ser atingido pelos tiros disparados por Jorge Guaranho, apoiador do presidente Bolsonaro


Policial que matou petista é denunciado pelo Ministério Público
Jorge Guaranho foi denunciado por homicídio com motivo fútil e com outros agravantes

Por ser agente penal federal, Guaranho deveria uma cela isolada dos demais detentos. Na decisão, o magistrado determinou que Guaranho deve utilizar tornozeleira eletrônica enquanto estiver em prisão domiciliar.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA