logo jornal amazonia

Jornalista é vítima do ‘celular provisório’; amigos fazem 'vaquinha' para recuperar dinheiro

Ela registrou um Boletim de Ocorrência junto à Delegacia Virtual, o caso​ é ​investigado​ como estelionato​

O Liberal

Uma jornalista​, que não será identificada nesta ma​téria por motivos de segurança, foi vítima do golpe do “celular provisório” na tarde da última segunda-feira (26), em ​Ananindeua. A jovem contabilizou um prejuízo de R$ 830,00 que foram transferidos para a conta do suspeito. Ela registrou um Boletim de Ocorrência, por meio da Delegacia Virtual, e o caso é ​investigado​ como estelionato​. ​A vítima também entrou em contato com o banco do qual é cliente, mas ainda não obteve nenhum retorno. Diante disso, os amigos da jovem iniciaram uma "vaquinha​"​ virtual e, em menos de 1h, conseguiram arrecadar o dinheiro​ subtraído pelo fraudador​.

Troca de mensagens entre o golpista e o pai da vítima. (Reprodução/ Redes sociais)

VEJA MAIS

Golpes do Pix: saiba o que são e como se prevenir
Ficar atento a possíveis golpes é fundamental na hora de usar a ferramenta do Pix

Ex-zagueiro do Paysandu cai em 'golpe do carro' e faz alerta na internet; veja mais
Bruno Leonardo joga atualmente na Portuguesa e foi vítima de um golpe no interior de São Paulo

'Contato quente': saiba como se proteger de golpe que promete 'nome limpo' no Serasa
Golpistas prometem retirar pendências do CPF de pessoas com restrição de crédito

A jornalista conversou com a reportagem de O Liberal, na noite desta terça-feira (27), e contou como foi vítima dessa modalidade de golpe. Ela relatou que estava no meio do expediente de trabalho, em home office, quando o criminoso fez contato com o pai dela, através de um aplicativo de troca de mensagens. “Ele entrou em contato com o papai. Nem usou foto (no perfil). Se passou pelo meu irmão e disse que o visor do celular havia quebrado e, por isso, havia troca de aparelho e precisava de dinheiro para ajeitar”, relembrou a vítima.

“Meu pai veio comigo. Eu estava de home office, super ocupada. Ele (o pai da vítima) me explicou por alto a história e eu apenas fiz a transferência para o CPF que o bandido passou. Na minha cabeça, era a pessoa que ia consertar o celular”, declarou. “Depois ele pediu de novo mais mil reais. Meu pai achou estranho e me deu pra eu ler. Quando eu vi a mensagem também estranhei porque meu irmão chama meu pai pelo nome, e não de pai, por ser enteado dele”, continuou a vítima.

A jovem relatou, ainda, que iria fazer uma nova transferência, quando se deu conta do golpe. “Eu já ia pegar o celular para transferir, quando caiu a ficha de que era um golpe. Liguei para o meu irmão e ele confirmou que não era ele. Tentamos pegar o CPF da pessoa, mas o bandido já havia apagado a mensagem”, contou.

Revolta

A vítima contou também que seu pai é uma pessoa idosa, alvo fácil de criminosos, principalmente nas redes sociais. “É muito fácil o meu pai cair nesses golpes. Ele já tem mais de 60 anos e não sabe dizer não. Ele acredita. Eu sempre fico muito alerta, mas dessa vez vacilei em não ter conferido. Não tive tempo de desconfiar, porque estava ocupada. O que me entristece é saber que o bandido nunca vai ser pego e esse tipo de crime vai continuar impune”, lamentou.

“Mas o que me chateia ainda mais é saber que o banco não fez nada. Disseram que dentro de cinco dias úteis vão me retornar, mas sei que isso não vai acontecer, porque só vão me devolver o dinheiro se ele ainda estiver na conta que recebeu o valor. Eu acho que o ideal era o banco ter feito o extravio imediatamente, no momento em que eu liguei”, disse.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA