Jogador do Remo baleado em assalto se submete a traqueostomia

Atleta de futebol americano do Clube do Remo fez uma traqueostomia ao meio-dia desta sexta-feira (18) - cirurgia indicada em casos de dificuldade de respiração por vias aéreas - e segue sedado

Redação Integrada

O jogador de futebol americano do Clube do Remo, Wecsley Rocha Chaves, 30 anos de idade, uma das quatro vítimas da tentativa de assalto com tomada de reféns no dia 11 deste mês, no bairro do Marco, em Belém, se submeteu ao meio-dia desta sexta-feira (18), a uma traqueostomia - cirurgia indicada em casos de dificuldade de respiração por vias aéreas - e segundo a irmã da vítima, a psicóloga Alethea Rocha Chaves, o procedimento foi exitoso sem nenhuma complicação, mas o quadro ainda é delicado e inspira cuidados. 

"O médico nos informou que a cirurgia na traquéia foi um sucesso, sem nenhuma complicação. Meu irmão está levemente sedado e já apresentou sinais de consciência, ele abriu os olhos, mas segue num quadro delicado'', informou Alethea Chaves, na noite desta sexta-feira (18), exatos sete dias após o baleamento sofrido por Wescley, que tomou quatro tiros - um na mão e três nas costas. Dois dos quatro projéteis continuam alojados no corpo do jogador. Um deles perfurou a região da axila esquerda e provocou infecção pulmonar esta semana. 

Wescley é assistido em um hospital particular, em Belém. Segundo a família do atleta, os médicos também confirmaram que ele está com pneumonia e sofreu um derrame pleural - acúmulo anormal de líquido na cavidade pleural, que envolve os pulmões e a cavidade torácica - e por conta disso apresentou um inchaço em todo o corpo. O jogador fez uma drenagem no local onde uma das balas saiu. 

"A notícia de hoje (nesta sexta-feira) é que ele não teve mais hemorragias, ainda assim tomou duas bolsas de sangue, agora já são 13 bolsas de sangue e a taxa de normalidade da hemoglobina dele, que é 10, ainda não foi alcançada. O máximo que conseguimos foi 8.9", explicou a irmã.

O atleta esteve entubado - procedimento que visa preservar a respiração do paciente durante cirurgias que envolvem anestesia geral, ou em quadros de complicação respiratória grave -, mas na última quinta-feira (17), a família autorizou a retirada do tubo e a realização da traqueostomia. "O médico iniciou nesta sexta-feira a redução da sedação, estamos esperando que meu irmão reaja a cada dia'', afirmou Alethea Chaves.

Além de Wecsley, foram vítimas da tentativa de assalto e baleados, o fotojornalista Cristino Martins, e o também atleta de futebol americano do Clube do Remo, Gabriel Lopes, de apenas 15 anos de idade. A princípio, Gabriel só teria pego um tiro de raspão, mas por meio de exames, nos últimos dias, descobriu-se que o adolescente estava com uma bala alojada no corpo após sentir dores.

O jogador passou por cirurgia e retirou o projétil, e faz medicação em casa. O terceiro atleta Lucas Raposo, escapou de sofrer um tiro porque se jogou do carro em movimento, teve várias escoriações, mas passa bem.

O promotor de Justiça Militar Armando Brasil Teixeira informou que acompanha a condução do inquérito policial conduzido pela Corregedoria da Polícia Militar, que investiga a conduta das duas guarnições da PM que intervieram no caso, que resultou na morte de um dos dois suspeitos da tentativa de assalto e tomada de reféns, bem como no baleamento do fotojornalista e dos dois atletas remistas. 

A Corregedoria iniciou a tomada de depoimentos de testemunhas, após, ouvirá as vítimas e os policiais. O órgão tem 40 dias para concluir o inquérito policial - prazo que pode ser prrorogado - e repassar a peça à apreciação da Justiça Militar, que deve se pronunciar sobre o caso. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA