Herculano Silva rebate denúncia da modelo Wilma Paulino sobre assédio e tentativa de aliciamento

De acordo com o coordenador do concurso de beleza Miss Pará, o relato de Wilma é 'calunioso e mentiroso'

Byanka Arruda

O coordenador do concurso de beleza Miss Pará, Herculano Silva, acusado de assédio moral e tentativa de aliciamento pela modelo e detentora dos títulos Miss Pará 2019 e Miss Itaituba 2019, Wilma Paulino, procurou a reportagem de O Liberal, nesta terça-feira (12), e novamente negou todas as acusações.

Wilma não realizou a passagem da faixa à sua sucessora, no concurso de cidade, no último sábado (9), e justificou sua ausência através da denúncia, no domingo (10), onde compartilhou vídeos em seu perfil no Instagram, apontando a coordenaçãodo evento de tentar torná-la uma "acompanhante de luxo". 

Herculano disse ter recebido ameaças de morte por causa do relato da modelo que, segundo ele, é "calunioso e mentiroso". O coordenador falou que já recebeu diversos telefonemas anônimos de pessoas do município de Itaituba, cidade natal de Wilma, com mensagens violentas, dizendo que vão matá-lo.

Por causa das ameaças e por afirmar ser vítima de calúnia e difamação, Herculano registrou um Boletim de Ocorrência na Seccional Urbana da Pedreira, em Belém. "Eu quero que ela prove o que está falando. Quando você fala uma coisa como essa, você tem que apresentar as provas. Você tem que ter provas contundentes", disse.

De acordo com a versão do coordenador, a Miss Pará 2019 teria ficado em seu apartamento, em São Paulo, durante alguns meses, para tentar a carreira de modelo. A proposta de permanecer em São Paulo teria partido da própria Wilma, segundo Herculano, pois estava em busca de realizar um sonho profissional. O coordenador, então, aceitou o pedido e se propôs a ajudar a modelo, com a permissão dos pais dela.

MISS BRASIL E PERMANÊNCIA EM SP

A mudança de Wilma para a residência de Herculano ocorreu logo após a realização do concurso Miss Brasil, ocorrido em março deste ano.

Wilma participou do maior concurso de beleza do país, mas não se classificou. Apesar disso, decidiu permanecer no Estado de São Paulo, no apartamento de Herculano, juntamente com outra modelo, que não será identificada nesta reportagem. 

Após um breve período de permanência da modelo na residência do coordenador, começaram a surgir, segundo ele, atritos por questões de horários e amizades da modelo.

Herculano diz não ter participação no episódio em que a modelo denuncia ser vítima de aliciamento para ser "acompanhante de luxo". "O pai dela me ligou, disse que tinha um amigo em São Paulo, e que esse amigo que nos apresentaria para um homem muito influente no mundo da moda, que poderia nos ajudar a alavancar a carreira da Wilma", afirmou.

JANTARES E DESENCONTROS

Foi combinado, então, um jantar na casa de Herculano, para receber o amigo do pai de Wilma. Na ocasião, um rapaz, apontado como atual namorado da modelo, também foi ao jantar e em seguida todos se dirigiram para um salão de beleza luxuoso, em São Paulo, que pertence ao suposto homem influente que ajudaria Wilma.

No local, o homem teria dito que não gostava da cor do cabelo da modelo e imediatamente solicitou que ela o clareasse, o que foi feito ainda no salão de beleza, no mesmo dia. Ao final, esse suposto nome de grande influência do universo da moda disse que gostaria de jantar com todos os convidados - Herculano, Wilma e os amigos do pai de Wilma -, mas cancelou o encontro minutos depois, alegando ter um compromisso.

No dia seguinte, esse homem teria ligado diretamente para Wilma, marcando um jantar particular, exigindo que ela fosse sozinha. Herculano, no entanto, não permitiu, já que a modelo estava sob sua responsabilidade em São Paulo, mas Wilma, segundo ele, foi acompanhada pelo amigo do amigo de seu pai.

Chegando ao local, Wilma avisou, por telefone, que estava acompanhada e teve o encontro com o profissional da estética novamente cancelado. "O homem influente que ela conheceu lá foi através de um amigo pessoal do pai dela", detalhou o coordenador do concurso. 

MISS PARÁ AGRADECE APOIO

Nas redes sociais, Wilma Paulino voltou a falar sobre o caso, reforçando a denúncia e agradecendo o apoio que tem recbido de outras mulheres.

Orientada por um advogado, a atual miss Pará disse que não deve falar mais sobre o assunto e que agora deve tratar na esfera jurídica os episódios relatados em série de stories no domingo (10).

No depoimento, a modelo reforça que não é a única vítima de tentativa de aliciamento, mas que espera ser a última.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA