Suspeito de participar do assassinato do empresário Amintas Pinheiro é preso em Icoaraci

Elenilson Ramos Farias, conhecido como Loirinho, é suspeito de dirigir o veículo que impediu a fuga da vítima

João Paulo Jussara

A Polícia Civil prendeu, na tarde de ontem, um dos envolvidos na morte do empresário e professor Amintas Pinheiro. Elenilson Ramos Farias, conhecido como Loirinho, dirigia o veículo que deu suporte à ação criminosa. A informação da prisão foi divulgada pelo Governador Helder Barbalho em sua conta em uma rede social, que informou que o suspeito foi detido no distrito de Icoaraci.

 

De acordo com o Delegado Geral da Polícia Civil do Pará, Alberto Teixeira, logo após o crime, a polícia realizou um levantamento do itinerário percorrido pelo empresário, desde a sua residência, de onde saiu, até o local onde foi morto, na avenida Centenário, por meio de câmeras em propriedades e também câmeras do Centro Integrado de Operações (Ciop).

Nas primeiras horas, mais de 30 pessoas foram ouvidas, entre testemunhas oculares e conhecidos da vítima. A partir dos depoimentos coletados, chegou-se à informação de que havia um veículo de apoio no momento em que o crime ocorreu, e que este veículo se colocou em frente ao carro do empresário para impedir que ele fugisse.

Depois de investigações, o veículo foi identificado, assim como o motorista que o conduzia no momento do crime, e de posse dessas informações, a Polícia Civil peticionou ao Poder Judiciário um mandado de busca e apreensão e um mandado de prisão contra Loirinho, deferidos e cumpridos na tarde de ontem. "Esperamos que, a partir da prisão dele, a gente possa identificar os outros autores e prendê-los", disse o delegado Alberto Teixeira.

O caso

O professor Amintas José Quingosta Pinheiro, de 62 anos, foi assassinado a tiros no fim da noite de quarta-feira, 5 de fevereiro. O educador era dono da Escola Superior Madre Celeste (Esmac) e marido da deputada estadual Professora Nilse Pinheiro (PRB-PA). Amintas foi abordado por dois homens em uma motocicleta, na Avenida Centenário, perto do Conjunto Catalina, bairro do Mangueirão, em Belém.

 O educador era dono da Escola Superior Madre Celeste (Esmac) e marido da deputada estadual Professora Nilse Pinheiro (PRB-PA).

O empresário havia acabado de deixar a Esmac e retornava para casa. Ele dirigia uma caminhonete preta e foi interceptado pelos criminosos em um semáforo, no sentido Ananindeua-Belém. Amintas ainda conseguiu dirigir por cerca de 100 metros antes de parar, desfalecido. Ele ainda chegou a ser socorrido e levado para um hospital particular de Belém, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no início da madrugada de quinta-feira, 6.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA