Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Fiscalização em festa atribuída à facção criminosa termina com um morto pela polícia

Suspeito tentou reagir à abordagem e acabou atingido por um dos agentes

O Liberal

Uma festa realizada na noite da última sexta-feira (29) no bairro Populares II, em Parauapebas, terminou com a morte de Mikael de Jesus da Silva. Ele foi atingido durante uma ação conjunta de fiscalização das polícias Civil e Militar ao evento, denunciado de forma anônima às autoridades por, supostamente, estar sendo organizado pela facção criminosa conhecida como Primeiro Comando da Capital (PCC). As informações são do portal Correio de Carajás.

VEJA MAIS

Morte bárbara na Rodovia dos Pioneiros em Paragominas
Vítima teve as mãos amarradas e foi atingida por vários tiros e pauladas

Policial Militar é executado a tiros em Marabá, no sudeste paraense
O crime aconteceu na rua da Mangueira no Núcleo Nova Marabá 

Caseiro morto a facadas em Rurópolis também foi degolado por amigo, aponta laudo necroscópico
Odenilson Corrêa, de 45 anos, foi assassinado após desentendimento com Marlon Souza

Mikael teria sacado um revólver calibre 32 contra os agentes enquanto faziam as abordagens, mas acabou atingido primeiro. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamada para prestar socorro à vítima, mas devido à demora na chegada da equipe os próprios policiais decidiram levá-lo na viatura ao Hospital Municipal de Parauapebas. Mas não resistiu e faleceu.

O diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, Erivaldo Campelo, solicitou apoio da Polícia Militar para fazer a inspeção no local, onde estavam reunidas dezenas de pessoas. Ainda de acordo com informações dos agentes, papelotes de substância análoga à cocaína foram encontrados com Mikael.

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA