logo jornal amazonia

Delegado amazonense morto: primeiro acusado preso confessa o crime e delata outros envolvidos

Deyvide José dos Santos, preso durante tentativa de fuga no Tocantins, já tem ficha criminal por outros assaltos nos quais agia de modo semelhante, diz delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Walter Resende

O Liberal
fonte

O primeiro acusado da morte do delegado amazonense Aldiney Goes Alves,  identificado como Deyvide José dos Santos, de 26 anos, prestou depoimento em Belém na manhã desta segunda-feira (31). Ele foi preso na noite de sábado, 29, enquanto tentava fuga em um ônibus de viagem interestadual, que seguia de Marabá, no Pará, para Santa Catarina (SC).

Deyvide foi transferido para Belém ainda nesta manhã e pestou depoimento na Divisão de Homicídios da capital, ocasião na qual confessou o crime e também deu informações à polícia para identificar e localizar outros criminosos envolvidos, inclusive o comparsa que aparece nas imagens na noite do crime, identificado como Mikael de Souza, conforme afima o delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Walter Resende:

"O Deyvide já foi ouvido. Ele confessou, até porque não tinha outro caminho, já que todas as provas estão muito bem substanciadas no inquérito. Com a confissão dele, a gente está conseguindo também identificar todos os outros integrantes desse grupo criminoso".

O delegado afirma que esse não teria sido o primeiro crime cometido por Deyvide José dos Santos, pelo contrário, que o acusado já teria passagem pela polícia por praticar outros assaltos, seguindo o mesmo modo de ação que, dessa vez, vitimou o delegado amazonense Aldiney Goes Alves.

"Esse não é o primeiro assalto que eles fazem nessa modalidade, em que um veículo deixa a moto e outro veículo dá apoio na logística, e a gente está aprofundando as investigações para desbaratar essa organização", diz o delegado-geral.

Sobre a possibilidade de haver mais envolvidos no crime, o delegado comenta que não há dúvidas, e que pelo menos mais um participante já foi identificado:

"Nós não temos só a identificação como toda a dinâmica do fato. A pessoa que deixou a moto no local do crime, o veículo utilizado, todo o modus operandi que a gente consegue visualizar na filmagem. É questão de tempo para colocá-los na cadeia", garante.

 

Criminosos não sabiam que a vítima era policial

Ainda com base no depoimento de Deyvide José dos Santos, nem ele nem os comparsas que estão envolvidos no crime tinham conhecimento de que a vítima abordada por eles na noite de sexta-feira, 28, fosse um policial civil.

"Eles não tinham conhecimento de que a vítima era delegado. Eles estavam em busca mesmo de patrimônio, mas, em razão de como tudo ocorreu, eles não conseguiram levar nenhum bem. Ainda assim o crime foi caracterizado como latrocínio", explica o delegado Walter Resende.

VEJA MAIS

image Delegado amazonense morto: suspeito preso chega a Belém na manhã desta segunda
Deyvide José dos Santos foi localizado em Araguaína, no estado do Tocantins, no início da tarde deste domingo (30)

image Delegado amazonense morto: Polícia Civil prende um dos acusados pelo assassinato
Deyvide José Santos estava em Araguaína, no Tocantins. As investigações seguem para localizar o segundo autor do crime

image Delegado do Amazonas morre após ser baleado durante suposto assalto em Belém
O crime ocorreu na noite desta sexta (28), dentro de uma farmácia

image Deyvide prestou depoimento na Divisão de Homicídios e vai seguir para o sistema penitenciário. (Divulgação / PC)

Deyvide e o comparsa tentaram fugir para fora do estado

O delegado Walter Resende conta que, ainda na noite de sexta-feira, 28, quando aconteceu o latrocínio que matou o delegado amazonense Aldiney Goes Alves, a dupla que entrou na farmácia e teve as imagens registradas por câmeras de segurança já foi imediatamente identificada pela Polícia Civil do Pará (PC), que deu seguimento à tentativa de localizar os criminosos.

"Assim que a polícia tomou conhecimento, fizemos nossa força-tarefa e, num processo muito célere, na mesma noite de sexta-feira, pudemos identificar os dois envolvidos. No sábado, tivemos informação da fuga deles para outro município, Marabá, e à noite deslocamos três equipes, já com reforço dos colegas policiais civis do Amazonas, que estão aqui sob coordenação do Delegado Geral Adjunto Bruno Fraga".

Segundo Walter Resende, a as equipes da Polícia Civil do Amazonas chegaram a Belém ainda no sábado e se dividiram em duas frentes, para dar apoio às diligências: uma equipe ficou em Belém para dar apoio às investigações de outros envolvidos no crime na Região Metropolitana de Belém e outro grupo seguiu para Marabá, sudeste do estado, acompanhado de policiais civis do Pará, onde realizaram a prisão do primeiro acusado.

"Ainda no decorrer da noite de sábado, depois da informação de que os criminosos estavam em Marabá, a gente recebeu a informação de que eles já estavam empreendedno fuga para fora do Estado. Interceptamos eles no ônibus que ia para Santa Catarina, ainda ali por Tocantins, e nessa interceptação um deles conseguiu fugir, mas o Deyvide foi preso", detalha.

Deyvide vai responder por latrocínio. Ele já tinha passagem pela polícia por outros assaltos e estava, até sexta-feira, em liberdade condicional. Ainda nesta segunda-feira, 31, ele passa por exame de corpo de delito e, depois, será encaminhado para o sistema penitenciário.

Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA