Corpo de dono de bar é encontrado enterrado de bruços no meio da mata no Murinim

Parentes acharam o corpo do homem que estava desaparecido

Redação Integrada

Uma busca no meio de uma mata em Murinim, distrito de Benevides, encontrou no final da manhã desta quinta-feira (10) o corpo de José Nazareno Monteiro Rodrigues, de 41 anos, comerciante que estava desaparecido desde a manhã do dia anterior. Familiares e amigos do homem concentraram as buscas na mata no final do conjunto Paraíso do Murinim, mas a procura terminou de maneira trágica: o corpo de José foi achado enterrado de bruços no meio da lama em uma área de mangue, com ferimentos na cabeça.

De acordo com a 2ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), ele foram acionados por volta de meio-dia, com o relato de que os populares haviam localizado o cadáver de um homem. O corpo estava ao fim de um caminho entre as árvores, cerca de 200 metros mata a dentro. Segundo os mateiros que auxiliaram a família nas buscas, o corpo de José estava na margem de um braço do rio Murinim, enterrado sob vários pedaços de madeira que, provavelmente, foram usados para que o corpo não boiasse e ficasse soterrado por mais tempo.

Segundo um parente de José, que não quis se identificar, o homem saiu de casa no dia anterior para encontrar com um amigo no conjunto ali perto e, desde então, não foi mais visto com vida. No mesmo dia, os parentes começaram a procurar pelo homem, que morava perto dali, no centro de Murinim, mas não tiveram sucesso. No dia seguinte, eles concentraram a procura na mata perto do conjunto onde ele tinha sido visto pela última vez. Pessoas que estavam no grupo de busca contaram que um grupo de homens correu quando viu as pessoas se aproximando, deixando uma bicicleta para trás. Isso chamou a atenção, e quando eles procuraram naquela área, acharam o corpo do comerciante enterrado na argila do mangue e trouxeram para a terra firme.

O corpo estava com vários ferimentos na cabeça e tinha uma saca cobrindo a cabeça. Perto do local onde foi desovado, os mateiros acharam roupas, uma faca e uma enxada, o que pode indicar que várias pessoas participaram da do crime. Os vários parentes que estavam no local - primos e irmãos da vítima - disseram que não tinham ideia do que poderia ter servido de motivação a um crime tão cruel já que, segundo deles, José "não mexia com ninguém".

A Polícia Civil foi ao local e colheu alguns depoimento, e o caso deve ser investigado por meio da Delegacia do Murinim. A PM, sob o comando do sargento Paranhos, ficou no local até a chegada do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, que foi acionado para remover o corpo do comerciante. Até o momento, nenhum suspeito de participação no crime foi detido. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM POLÍCIA