#if(!$m.request.preview.inPreviewMode)
CONTINUE EM OLIBERAL.COM
X
#end
logo jornal amazonia

Caso Bruno e Dom: Justiça Federal acata pedido da defesa e adia julgamento dos acusados

A decisão de postergar o julgamento foi tomada em resposta ao pedido formalizado pela defesa dos pescadores

Gabriel Pires
fonte

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) acatou o pedido da defesa e determinou, nesta terça-feira (23/04), o adiamento do julgamento que mandaria  - ou não - a júri os pescadores acusados de matar o indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips - mortos em junho de 2022, na região do Vale do Javari, no Amazonas. A informação foi detalhada à reportagem do Grupo Liberal pelo advogado Lucas Sá, que atua na defesa dos réus.

Estava marcada para esta terça-feira mais uma fase do julgamento do caso. A defesa faria sustentação oral diante de desembargadores federais do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), com o intuito de derrubar a decisão judicial que levou os pescadores a júri. A decisão de postergar o julgamento foi tomada em resposta ao pedido formalizado pela defesa dos pescadores. 

Argum​entou-se pela defesa que a 3ª Turma Federal, responsável pela apreciação do caso, não seria a instância correta, uma vez que o processo já havia recebido decisões prévias da 4ª Turma Federal. Em consideração a isso, o Desembargador Federal Ney Bello determinou a retirada do julgamento da pauta, a fim de avaliar o pedido apresentado pela defesa.

VEJA MAIS

image Advogado paraense participa de defesa dos acusados pelas mortes de Bruno Pereira e Dom Phillips
Em mais uma fase do julgamento do caso, nesta terça-feira (23/04), o advogado paraense Lucas Sá realizará a sustentação oral diante dos desembargadores federais do tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1)

image Indiciado pela morte de Bruno e Dom é transferido para sede da PF em Manaus
Jânio Freitas de Sousa foi preso no dia 18 de janeiro pela Polícia Federal

image PF prende mais um suspeito pelo assassinato de Bruno e Dom; defesa se diz 'surpresa' com prisão
Jânio Freitas de Souza foi preso nesta quinta-feira (18) e deve ser indiciado pelo duplo homicídio e ocultação de cadáveres

O caso

Atualmente, três réus estão presos em presídios federais: Amarildo da Costa de Oliveira, em Catanduvas, no Paraná; o irmão dele, Oseney da Costa de Oliveira e Jefferson da Silva Lima, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Eles se tornaram réus em 22 de julho de 2022 pelos crimes de duplo homicídio qualificado e ocultação de cadáver do indigenista e do jornalista britânico.

Bruno e Dom foram mortos no dia 5 de junho de 2022. Eles foram vítimas de uma emboscada enquanto viajavam de barco pela região do Vale do Javari, no Amazonas, região que abriga a Terra Indígena Vale do Javari. A dupla foi vista pela última vez, enquanto se deslocava da comunidade São Rafael para a cidade de Atalaia do Norte (AM), onde se reuniria com lideranças indígenas e de comunidades ribeirinhas. 

Os corpos foram resgatados somente 10 dias depois. Eles estavam enterrados em uma área de mata fechada, a cerca de 3 quilômetros da calha do Rio Itacoaí. Colaborador do jornal britânico The Guardian, Dom se dedicava a cobertura jornalística ambiental –incluindo os conflitos fundiários e a situação dos povos indígenas– e preparava um livro sobre a Amazônia.

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Polícia
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA