Artistas lamentam e querem justiça pela morte do músico e pastor Nilton

O pastor evangélico começou no universo artístico como bailarino e depois seguiu como vocalista

Redação Integrada

Músicos e companheiros do pastor Ivanilton Mota, 40, assassinado na noite de sábado (5), lamentam a violência. Ivanilton além de artista trabalhava como motorista de aplicativo e, na noite de sábado, recebeu um pedido de viagem na passagem Nossa Senhora das Graças, na Terra-Firme. Ao chegar ao local percebeu a presença dos bandidos.

O fato chocou os moradores do bairro e as redes sociais, já que Nilton era uma pessoa popular. O amigo dele, Marth Martins, vocalista da banda de tecno melody "Os Brothers", diz que não consegue entender a motivação da violência, pois Nilton era uma pessoa prestativa e gostava de ajudar o próximo.

"Ele era dançarino da 'Os Brothers", mas depois de um tempo ele casou, teve filhos e resolveu entrar na igreja evangélica, mas mesmo assim nunca quis se afastar da música. Nisso ele criou a banda "Revolution", que é uma banda de tecno melody gospel", disse o amigo.

Marth completa que Nilton era uma pessoa dedicada aos filhos e lamenta a tragédia.

Quem também está chocado com o acontecimento é o empresário e vocalista da banda AR-15, Harrison Lemos. Ele trabalhou com NIlton durante um tempo e diz que o amigo sempre foi uma pessoa dedicada. 

"Sempre foi um ótimo profissional, sempre dedicado ao trabalho e um ótimo ser humano. Ele sempre teve um sonho de montar uma banda e de fato montou a Revolution. É uma perda irreparável para a música e para todos que conheciam o Nilton", declara Harrison. 

Várias pessoas usaram o facebook para homenagear o artista e pastor evangélico. Um dos amigos, Pedrinhos Moraes, escreveu: "Porque tanta violência meu Deus? Vai com Deus mano. Só nos resta a lembrança, Nil".

Polícia