Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Após fugir para Alemanha, Cônsul alemão ameaça testemunha por mensagem

Uwe Herbert Hahn responde por homicídio triplamente qualificado contra o marido o belga Walter Henri Maximilien Biot. Cônsul alemão é o principal suspeito do crime

Rayanne Bulhões

Após relaxamento de prisão e conseguir fugir do Brasil, o cônsul alemão Uwe Herbert Hahn ameaçou testemunha por mensagem. Uwe é o principal suspeito do homicídio triplamente qualificado contra o marido o belga Walter Henri Maximilien Biot. Dessa vez, a vítima ameaçada era um amigo do marido, que registrou boletim de ocorrência nesta terça-feira (30), no Rio de Janeiro (RJ). A Polícia Civil analisa o caso.

Via aplicativo de texto, Hahn disse que se houver depoimento ele vai falar às autoridades brasileiras que a testemunha é traficante e roubou dinheiro de Walter. A vítima comenta, ainda, que Uwe é arrogante e violento. “Estou em segurança. Você não. E você conhece a polícia, eles vão adorar a verdade sobre você. A delegada vai publicar tudo, mesmo sem provas”, diz trecho da mensagem.

A testemunha rebate: “Eu não preciso estar seguro, ou fugir do país, diferente de você. Você é um assassino e matou meu amigo e vai pagar por isso”, diz. “Você é procurado pela Interpol, ontem condenado a retornar à prisão, eu não vendo droga alguma, diferentemente de você, e se você matou seu marido e sabe disso. E eu não peguei dinheiro do seu marido que você ama tanto é que você deixou aqui. Era Walter que sempre me ajudava e que se escondia de você, que era submisso a você, que era aterrorizado por você”, completou.

VEJA MAIS 

Cônsul alemão é preso suspeito de matar o marido belga
Segundo a versão relatada pelo suspeito, o marido havia passado mal e batido a cabeça após um tropeço


Como cônsul alemão acusado de matar o marido conseguiu deixar o Brasil; entenda
O diplomata passou três semanas preso e, por decisão da justiça, foi solto na última sexta-feira (26)


Justiça nega 'habeas corpus' a cônsul alemão suspeito na morte do marido belga
A defesa alegou imunidade diplomática e ausência de flagrante


 

Sobre o crime

O que diz o marido? 

Segundo a versão relatada pelo suspeito, o marido havia passado mal e batido a cabeça após um tropeço, porém difere do que foi encontrado no laudo pericial. "Houve uma morte com violência, há vestígios de lesões em várias partes do corpo, inclusive no ânus", afirmou a corporação. Segundo a polícia, foram encontrados vestígios de sangue em vários lugares do apartamento. 

Laudo do IML

Segundo o laudo do Institudo Médico Legal, o corpo do belga tem lesões como equimoses (manchas roxas), escoriações e outros tipos de ferimentos, espalhados por regiões como braços, pernas, tronco e cabeça. Apenas no rosto, o documento aponta que o belga apresenta quatro ferimentos, um deles no lábio inferior. Na região do tronco, são ao menos menos seis lesões. Ainda há mais dez ferimentos na região dos braços e das mãos. Nos braços e mãos, mais de dez. Nas pernas, os peritos encontraram seis ferimentos, que foram encontrados também no ânus. 

Polícia
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM POLÍCIA

MAIS LIDAS EM POLÍCIA