Verão amazônico requer cuidados com os olhos

Um dos principais deles é o uso de óculos com proteção contra os raios solares

Cleide Magalhães

As elevadas temperaturas neste verão amazônico, com poucas nuvens e predomínio de sol, exigem proteção com os olhos seja na praia, piscina, no rio e mar. Ainda nessa época, é comum o aumento nos casos de conjuntivite e alguns cuidados também devem ser adotados para evitar a doença. O oftalmologista Anderson Fayal destaca que um dos principais cuidados com a visão está relacionado ao uso de óculos com proteção contra os as radiações solares, para evitar as doenças do fundo do olho, como as maculopatias e retinopatias. 
"Nesse período, é importante o uso de óculos escuro com tratamento fotocromático para proteger os olhos contra dos raios UVA e UVB. Muitas vezes, as pessoas compram óculos em camelôs ou outros locais inapropriados sem a proteção adequada. Sem o tratamento fotocromático, os raios solares penetram com mais facilidade por dentro da pupila atingindo a retina e prejudicando o fundo de olho, já que a retina é como se fosse um tapete dentro do olho e é uma região muito sensível", esclarece o oftalmologista.  
Ainda segundo ele, se essa região delicada do olho não for protegida de forma correta, além de prejudicar a visão, pode levar à retinopatia do fundo de olho. "Uma delas é a retinopatia causada pelo sol, que é a solar. Pode levar também à maculopatia, que é uma doença e ocorre em uma região muito nobre, onde estão as células da visão, no fundo do olho. Então, o sol também a prejudica e leva às maculopatias. Isso pode levar à baixa visão gradual e até repentina, e inclusive à cegueira", alerta Fayal, que é especialista em Plástica Ocular.  
Engana-se quem pensa que, mesmo estando debaixo de sombra ou do guarda-sol na praia, no balneário, na piscina ou em outro lugar, os olhos estão protegidos. "Ainda que a pessoa esteja debaixo desses espaços, a luz solar reflete na areia ou no espelho d'água, e isso também vai em direção aos olhos, prejudica e pode provocar as maculopatias e retinopatias oriundas da luz do sol. Por isso, tem que ir protegido com óculos solar, bonés e outros acessórios importantes para prevenir as doenças do fundo do olho", afirma Anderson Fayal.

Legenda (Igor Mota/ O Liberal)

Além dos raios solares, a água do mar, do rio e da piscina podem prejudicar os olhos

Além dos raios solares, o médico alerta que a água do mar, do rio e da piscina pode prejudicar os olhos. "Muitas vezes essas águas podem provocar uma irritação ocular, uma vermelhidão nos olhos e na conjuntiva (que é a parte branca dos olhos). Podem também cair corpos estranhos dentro do olho, como pedacinho de areia e fagulha de madeira, e provocar irritação nos olhos". 
Nesses casos, a orientação é lavar os olhos com água corrente e procurar, imediatamente, um especialista para fazer exame mais profundo. "É importante buscar o oftalmologista logo, porque muitas vezes o fator está dentro do olho e só vai melhorar quando o corpo estranho ou outra coisa for retirada". 
Ao mergulhar nessas águas, mais cuidados também são necessários. "É melhor evitar o contato excessivo com água doce ou salgada, pois também pode irritar os olhos. O ideal é mergulhar com os olhos fechados, pois eles são muito sensíveis e qualquer fator externo, ambiental é irritativo. Se quiser, pode utilizar óculos de mergulho, porque é mais um fator protetor que vem para ajudar", frisa Fayal, que que atende pelo Sistema Único de Saúde no Hospital Bettina Ferro, da Universidade Federal do Pará, tido como referência em Oftalmologia no Pará.
Se a pessoa sentir algum problema ocular, como ardor, olho vermelho, irritação, sensação de areia, fotofobia (dificuldade com a claridade), desconforto e dor na cabeça a orientação é procurar logo o oftalmologista. "Às vezes, um problema que pode ser logo resolvido acaba se tornando algo maior e até sem solução. Por isso, precisa buscar ajuda médica ao sentir algum desses sintomas", orienta. 
Todos esses cuidados valem para quem tem ou não problema na visão, "pois a visão é fundamental para nortear a noção de espaço e ajuda em todos os sentidos". 

Leia mais:

Olhos vermelhos e lacrimejantes podem ser sinais de conjuntivite

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!