Pará tem mais de 190 mil crianças e adolescentes em condições de exploração de trabalho

TRT 8ª Região lança campanha contra o Trabalho Infantil e busca parceria para acabar com essa prática

Celso Freire

A Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem do Tribunal Regional do Trabalho da Oitava Região (TRT8), em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT), realiza uma Blitz da Conscientização contra do Trabalho Infantil neste dia 12 de junho em Belém, Ananindeua, Barcarena e Paragominas.

O objetivo é contribuir para conscientizar a sociedade sobre os prejuízos do trabalho infantil e a necessidade de não se estimular esse tipo de atividade que cada vez mais coloca crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, gerando evasão escolar, destruindo sonhos e perpetuando a pobreza.

Confira a reportagem especial do repórter Celso Freire:

 

 

Segundo pesquisa do IBGE-PNAD (2017), divulgada em junho de 2018, embora tenha havido redução no índice de trabalho infantil em torno de 5%, o Brasil ainda registra 2.551.000 trabalhadores considerados infantis, com maior concentração entre os adolescentes de 14 a 17 anos (2.040.000), faixa etária na qual também se registra o maior índice de abandono ou evasão escolar, com reflexos na elevação da taxa de consumo de drogas e de violência envolvendo esse mesmo público.

Registra-se, ainda, um aumento considerável no índice de trabalho de crianças de 5 a 9 anos, o que vem sendo observado nas ruas de todas as cidades, nos semáforos e na área internas dos transportes coletivos, onde as crianças e os adolescentes costumam realizar atividade de venda ambulante, o que justifica uma ação específica no dia 12 de junho, Dia Mundial de Luta contra o trabalho infantil, voltada para essa situação.

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!