Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

No Dia Mundial do Turismo, conheça 10 locais imperdíveis no Pará

Hábito de viajar está voltando pouco a pouco, após o avanço da vacinação no estado e no mundo

O Liberal

As praias de água doce, cidades históricas, passeios em comunidades de povos nativos e a rica gastronomia são algumas das diversas experiências vivenciadas por quem busca o turismo no Pará. As atrações turísticas chamam atenção de quem vem de fora e até mesmo dos próprios paraenses, que aproveitam os momentos de lazer para experimentar novas aventuras pela região. Nesta segunda (27), é comemorado o Dia Mundial do Turismo. Viajar é um hábito que está voltando pouco a pouco, após o avanço da vacinação no estado e no mundo.

“A nossa expectativa é que a vacinação possa avançar e alcançar com duas doses toda a população adulta. E em breve, adolescentes e crianças. Esse avanço da vacinação nos traz uma maior segurança para retomada das atividades turísticas e da promoção do turismo do Pará em e outros destinos, bem como receber mais turistas em segurança e com a maior certeza de que já estamos com a pandemia controlada”, destaca o secretário de Estado de Turismo do Pará,  André Dias.

O secretário afirma que o Pará montou um plano de ação com uma série de medidas para que o turismo no Pará pudesse ser devidamente retomado. O "Plano Abre Caminho" tem como objetivo acelerar a retomada das atividades turísticas no estado e a recuperação dos prejuízos causados pelas paralisações decorrentes da covid-19. As ações serão feitas por meio de medidas que amenizam os danos ao setor e que fomentem novos negócios e fluxos turísticos, na velocidade mais rápida possível para superar a crise econômica, que foi instaurada com a pandemia.

A professora Maria Goretti, docente do curso de Geografia da Universidade Federal do Pará (UFPA), conta que apesar da lenta volta do turismo, por conta do controle da covid-19, os profissionais estão ansiosos e contentes pelo avanço da vacinação em todo o estado.

“Viajar é preciso. Movimenta a nossa economia e impulsiona o nosso estado. Nesse período, antes de planejar a viagem, é necessário ficar atento a todos os protocolos sanitários. Além disso, fique atento ao meio de transporte que você irá usar. A pandemia nos trouxe vários critérios para poder se deslocar entre municípios. Isso vale para as hospedagens. Certifique-se que as condições de estadia condiz com as regras de saúde indicadas”, recomenda a professora Goretti.


Turismo para conservar e apreciar as regiões

O turismo local movimenta a economia e sempre está inovando em modalidades. Um exemplo é o turismo sustentável, prática que vem ganhando força na região paraense. O modelo é uma maneira de viajar e descobrir um destino, mas respeitando a cultura, meio ambiente e pessoas, preservando tradições locais e recursos naturais e dando protagonismo às comunidades residentes.

Há pessoas que levam o turismo como um estilo de vida, como é o caso do contador Rômulo Dias, adepto do turismo sustentável. Ele tem um perfil nas redes sociais com dicas de viagens pelo Pará, que já acumula mais de 30 mil seguidores. “Em minha primeira grande viagem, em 2014, conheci alguns estados e até mesmo países. Após isso, em 2019, eu me perguntei: ‘Por que não conhecer o Pará?’. Comecei a pesquisar na internet sobre lugares no estado e não encontrava muita informação. Com base nisso e de uma necessidade, eu criei o @visiteopara, para mostrar o quão temos coisas boas e diversidade sem sair daqui”, ressalta.

Rômulo separa a frequência de viagens por distância. Todo mês escolhe algum lugar próximo de Belém. A cada dois meses, escolhe algum lugar distante para visitar. A partir daí, ele faz um levantamento de orçamento e monta o roteiro, que posteriormente é divulgado na rede social do projeto, para assim influenciar mais pessoas a fazerem essas viagens.

“Um dos objetivos do Visite O Pará, além de fomentar o turismo em nosso estado, também é ajudar a crescer a economia de cada lugar que eu passo. É sensacional quando vejo que tem um impacto positivo nos locais por onde passo. Fica mais conhecido, mais pessoas vão, a economia aumenta em torno e consequentemente, o nosso Pará ganha notoriedade”, pontua o contador.

 

Empresários defendem mais investimentos no Pará

A Secretaria de Estado de Turismo (Setur) planeja uma retomada do turismo com investimentos. Em relação à infraestrutura, o Centro de Convenções de Santarém e o novo aeroporto de Salinópolis são algumas das prioridades. Ainda assim, empresários ligados ao setor reclamam da falta de incentivos e fiscalizações básicas em relação aos destinos mais procurados.

“Aqui em Santarém, as propagandas para o turista requerem mais atenção. Me preocupa uma visitação intensa porque a estrutura do local está precária. Faltam lixeiras, acessibilidade ruim, esgotos a céu aberto, infraestrutura inteira está necessitando de altos investimentos”, reclama Mariana Garcia, proprietária de uma pousada em Alter do Chão. Além desses problemas, ela relata que os hóspedes costumam se queixar sobre a fiscalização no trânsito e nas praias.

Outro empreendedor e nativo de Alter do Chão, que questiona a forma de divulgação do município para o turismo, é Rilson Maduro. “Hoje, a propaganda das nossas praias e da nossa cidade é muito mais intensa no boca-a-boca dos proprietários de pousadas. O potencial turístico é enorme, ultrapassa o país, mas sinto essa falta de incentivo para o setor. Os investimentos para o melhor acesso à nossa região estão se multiplicando, mas não adianta convidar turistas sem arrumar o nosso município para recebê-los. É necessário mais organização no apoio logístico e no bem-estar”, comenta, propondo mais interação nas políticas públicas.

 

10 locais essenciais que todo turista deve conhecer no Pará

1. Centro Histórico de Belém

Na região metropolitana, é imprescindível visitar o centro histórico da capital. Nesse local temos uma concentração de museus, como o Museu do Forte do Presépio, o Museu de Arte Sacra, a Casa das onze Janelas que abriga o de Arte Moderna. Também temos os museus do estado do Pará e o de Arte de Belém (MAB). Nisso, é indispensável conhecer o complexo do Ver-o-Peso, que são as feiras no entorno e ao lado, a Estação das Docas. São pontos fundamentais para conhecer.

A Cidade Velha é o coração do Centro Histórico de Belém (Oswaldo Forte / Arquivo O Liberal)

2. Conjunto do entorno do Centro Histórico de Belém

É interessante visitar o entorno do centro histórico. O Mangal das Garças é uma parque belíssimo. O Polo Joalheiro uma referência para nossas artes e claro, o Teatro da Paz. Um dos mais belos teatros do Brasil.

Mangal das Garças (Thiago Gomes/Agência Pará)

3. Parques urbanos

Conhecer os nossos parques é uma boa opção de lazer. O parque o Utinga, o parque zoobotânico do museu Emílio Goeldi e o nosso Bosque Rodrigues Alves são opções para apreciar a natureza e relaxar.

Parque do Utinga (Marco Santos / Agência Pará)

4. Gastronomia da região das ilhas

Visita às ilhas que ficam próximas da cidade: Combu é uma das mais interessantes. Com todos os seus atrativos culturais e gastronômicos.

Ilha do Combu (Oswaldo Forte / Arquivo O Liberal)

5. Ilha de Mosqueiro, a Bucólica

Próximo de Belém, conta com uma ocupação tradicional que vem desde o Ciclo da Borracha. Com mais de 15 praias e gastronomia local, vale a pena conferir.

A ilha de Mosqueiro (Igor Mota / Arquivo O Liberal)

6. Icoaraci, um berço do artesanato, da gastronomia e do turismo fluvial

Principalmente para conhecer o artesanato, ir diretamente as fábricas de cerâmica e todo o seu complexo turístico que conta com uma culinária regional.

A biblioteca Avertano Rocha, em Icoaraci, foi completamente restaurada e está preservada (Ascom Fumbel)

7. Arquipelago do Marajó

No oeste do estado, temos dois pontos fundamentais: Ilha do Marajó, onde está localizado Soure e Salvaterra. A maior ilha fluvial do mundo é destino imperdível para turistas que gostam de histórias e paisagens selvagens. Lá está localizado todo um contexto histórico muito peculiar e uma natureza nativa.

O queijo do Marajó pode ser um bom motivo para visitar o Arquipélago (Ascom Sebrae)

8. Santarém e o acesso a Alter do Chão

Outro lugar é Santarém. De jato ou seis dias de barco, a viagem é sempre recompensada com uma paisagem deslumbrante. Lá você encontra Alter do Chão (considerada uma das praias mais bonitas do mundo) e o encontro das águas do Rio Amazonas e Tapajós.

Alter do Chão, em Santarém, é um dos destinos paraenses mais procurados (Cristino Martins / Arquivo O Liberal)

9. Vigia: um rápido acesso para diversas opções de lazer

De fácil acesso, carro ou  barco, as cidades históricas precisam ser conferidas. Vigia fica distante 80km da cidade de Belém

Igreja de pedra de Vigia (Igor Mota / Arquivo O Liberal)

10. Bragança: praia oceânica e farinha de respeito

Localizada a 200km da capital, Foi uma das primeiras cidades a ser fundada. Importante lugar para a história do estado. Tem a festada Marujada em dezembro e não pode estar fora do roteiro. Por fim, no nordeste paraense, Cametá. Uma cidade ribeirinha e uma das mais antigas do estado. Conta com um centro histórico preservado e significativo.

Orla de Bragança, a Pérola do Caeté (Sidney Oliveira / Arquivo O Liberal)

FONTE: Geógrafa Maria Goretti Tavares

(Bruna Ribeiro e Karoline Caldeira, estagiárias sob a supervisão de Victor Furtado, coordenador do Núcleo de Atualidades)

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ