Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Médica paraense é considerada uma das cientistas mais influentes do mundo

Nascida na Ilha de Marajó, Angelita Habr-Gama, 89 anos, está entre os 2% de cientistas mais citados em diversas disciplinas no mundo

Fabyo Cruz

A médica paraense Angelita Habr-Gama, 89 anos, foi reconhecida pela Universidade de Stanford, da Califórnia, nos Estados Unidos, como uma das profissionais que mais contribuiu para o desenvolvimento da ciência. A cirurgiã já recebeu mais de 50 premiações científicas e é considerada como uma referência mundial em coloproctologia - especialidade médica cirúrgica que estuda as doenças do intestino grosso, reto e ânus. Gama é uma das pesquisadoras brasileiras mais premiadas e publicou mais de 200 artigos científicos em revistas indexadas na base de estudos PubMed.

VEJA MAIS

Cientistas paraenses transformam caroços de açaí em próteses, móveis, concreto e carvão vegetal
Essas sementes, que já eram reaproveitadas com a fabricação artesanal, vêm ganhando cada vez mais novas finalidades, a partir de estudos feitos por empresas com apoio de instituições de ensino superior

Paraense entra na lista dos cientistas mais influentes do mundo
Pedro Fernando da Costa Vasconcelos entrou na eleição do Journal Pios Biology no mês de outubro

Ela nasceu na Ilha de Marajó, onde viveu até os 8 anos de idade, e depois se mudou com a família para São Paulo. Aos 19 anos, ela entrou na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

“Eu saí do Pará muito pequena, tinha 8 anos naquela época. Depois disso voltei apenas duas vezes para o Estado durante dois congressos que participei. Mas ainda me recordo um pouco da casa onde eu morava na Ilha do Marajó. Ela tinha duas belas mangueiras na frente, era muito bonito”, lembrou a paraense.

Inspiração

Angelita Habr-Gama foi a primeira mulher a fazer residência no Hospital das Clínicas de São Paulo e criou na instituição a disciplina de coloproctologia. Ela também foi a primeira a chefiar o departamento de cirurgia da Faculdade de Medicina da USP e atualmente trabalha no Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Sobre o reconhecimento de Stanford, a médica acredita ser importante para inspirar outros jovens paraenses a ingressarem à ciência, sobretudo as mulheres.

“Fizeram uma análise das contribuições feitas a partir de estudos científicos publicados de 1960 para cá. Me senti honrada por esse reconhecimento, é muito importante para o Brasil, principalmente para a juventude, espero que os jovens inspirem a seguir nesse caminho da ciência. É uma inspiração também às mulheres, pois sabemos que nós somos capazes de chegar longe. Recebi com imensa felicidade essa honraria", disse a médica.  

A Universidade de Stanford incluiu Angelita Habr-Gama entre os 2% de cientistas mais citados em diversas disciplinas no mundo. Segundo o jornal O Tempo, o relatório foi preparado por uma equipe de especialistas liderada por John Ioannidis, professor de Stanford, em parceria com a editora Elsevier BV.  

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ