Governador diz que pode recorrer à Justiça Federal para suspensão de voos

A princípio, medida só será tomada se a situação seguir se agravando no Amazonas e não houver determinações pelo Governo Federal

Victor Furtado

Em entrevista ao vivo, ao JL1, da TV Liberal, nesta quinta-feira (14), o governador Helder Barbalho (MDB) explicou que, sobre os aeroportos, somente o Governo Federal pode adotar qualquer medida direta. Caso a situação siga piorando no Amazonas e o Governo Federal não adotar qualquer medida, poderá recorrer à Justiça Federal para pedir a suspensão de voos entre os dois estados. Tudo para frear uma possível transferência da segunda onda de covid-19 do estado vizinho, pela rota aeroviária, nos aeroportos de Belém e Santarém.

Um pedido de informações foi enviado à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) sobre as medidas preventivas sendo adotadas. isso, explicou o governador, é algo possível de fazer. A partir das respostas, serão planejadas as ações da Vigilância Sanitária no receptivo a passageiros vindos do Amazonas, como verificação de temperatura e monitoramento de condições.

Em nota, a Infraero informou que "Os aeroportos da Infraero seguem operando, atendendo à programação dos voos comerciais regulares de acordo com as normas da Anac e protocolos sanitários da Anvisa, além de estarem com sinalização e campanha de orientação aos passageiros. A Infraero reitera - a quem precisa viajar - o pedido para que sigam com as medidas de prevenção divulgadas: distanciamento, uso de máscara e higienização das mãos.  Como parceira do Governo, está à disposição para apoiar as decisões que forem tomadas pelos órgãos responsáveis por regular o trânsito de aeronaves no País".

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM PARÁ

MAIS LIDAS EM PARÁ