Fiéis acompanham a 22ª edição do Círio de Castanhal

Este ano o evento ganhou um novo formato, com uma parte presencial e outra transmitida pela internet

Keila Ferreira

Devotos de Nossa Senhora de Nazaré estão reunidos, na manhã deste domingo (18), em mais uma edição Círio de Castanhal. Uma das maiores festividades católicas do estado, a romaria chegou a levar, no ano passado, cerca 400 mil pessoas às ruas do município - inclusive católicos de diferentes localidades do nordeste paraense. Este ano, porém, ganhou um novo formato - com uma parte presencial e outra transmitida pela internet - para evitar aglomeração, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Círio de Castanhal 2020

A tradicional procissão também foi substituída por uma visita às paróquias do município, recebendo homenagens de fiéis pelo caminho. O trem onde a imagem era colocada em anos anteriores, deu lugar a um carro, no qual a berlinda foi conduzida. Alguns devotos seguiram a berlinda em seus carros, motos ou bicicletas, formando uma pequena carreata.

O evento começou cedo. Às 6 horas, teve início a Santa Missa no anfiteatro atrás da Catedral. Além da obrigatoriedade do uso de máscara no local, foram posicionadas cadeiras com o distanciamento recomendado e era disponibilizado ácool aos fiéis na entrada.  "Aqui pensamos no sofrimento de tantas famílias, por causa da pandemia. Pensamos nos desempregados, nas famílias enlutadas, nas famílias em que falta o pão de cada dia", declarou o Bispo da Diocese de Castanhal, Dom Carlos Verzeletti, durante a celebração.

Este é o 22° Círio da cidade, que traz como tema: “Vivendo com Maria o dia do Senhor”. Sobre o tema, Dom Carlos Verzeletti, destacou que, muitas vezes, as pessoas perdem o tempo em que deveriam consagrar ao senhor e que o domingo é desprezado e se tornou um dia qualquer.  "Ao reconhecer a Deus, devolver a ele o que é dele, a nossa vida encontra sentido, equilíbrio,então conseguimos respeitar melhor o irmão, perdoar".

Essa, segundo o religioso, é a mensagem dessa romaria. Maria é o exemplo principal, pois tinha uma vida de plena comunhão, reconhecendo Deus em cada pessoa. "Nem a morte e nem a doença podem fazer perder a esperança", disse Dom Verzeletti. "Que Nossa Senhora nos ajude a redescobrir, a viver, com alegria, o dia do senhor. Que nossas comunidades sintam-se animadas para viver o domingo, pela vivência da eucaristia".

Por volta das 8h, a imagem saiu da catedral e sua primeira parada foi na matriz da Paróquia de São Paulo VI, no bairro dos Ipês. De lá, o carro com a berlinda seguiu para a Paróquia de Cristo Jovem, na frente da igreja de Santa Joana D’arc. Em cada uma dessas igrejas, a imagem de Nossa Senhora era retirada da berlinda para uma benção aos fiéis. Também era recebida com festa - música e fogos de artifício marcavam a chegada da imagem nos bairros.

A dona de casa Ismenia Muniz, de 50 anos, conta que sempre acompanhou o Círio de Castanhal. Este ano, ele participou da missa na Catedral. "É bem diferente, mas é para o bem de todo e que Nossa Senhora acabe com essa pandemia para que ano que vem possamos estar todos presentes aqui novamente".

O Círio deste ano inclui ainda visita da imagem  à paróquia de São João  Paulo II, na comunidade do Sagrado Coração de Jesus; à igreja matriz de Santa Teresinha, na Jaderlândia; na Paróquia de Cristo Rei e na Comunidade do Calvário, que faz parte da Paróquia de Santa Cruz. Final da manhã, ela estará na Paróquia de São José. Depois, será levada novamente à Catedral, para o encerramento. 

Pará
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

MAIS LIDAS EM PARÁ