Acessar
Alterar Senha
Cadastro Novo

Passa de 1000 o número de mortos após forte terremoto no Afeganistão

Outras 600 pessoas ficaram feridas

O Liberal

Pelo menos 1000 pessoas morreram após o forte terremoto registrado no Afeganistão, nesta quarta-feira (22). De acordo com autoridades locais, outras 600 pessoas ficaram feridas. O epicentro do terremoto ocorreu em uma região montanhosa de difícil acesso com aldeias remotas.As informações são do G1 Mundo. 

O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) informou que o tremor ocorreu a 10 km de profundidade, às 1h30 da madrugada, a 44 km da cidade de Khost, perto da fronteira com o Paquistão e atingiu a magnitude 5,9. Já o Departamento Meteorológico do vizinho Paquistão afirma que a magnitude chegou a 6,1. Já o USGS informou que o sismo teve magnitude 5,9.

VEJA MAIS

Terremoto mata mais de 250 pessoas no Afeganistão
O tremor atingiu magnitude 6,1

Explosões em escolas de Cabul deixam ao menos seis mortos e 11 feridos
Há crianças entre as vítimas, segundo a polícia local

Grupo extremista Talibã pede ‘paz’ entre Rússia e Ucrânia
Grupo radical que tomou o poder no Afeganistão diz ser favorável a 'solução pacífica' em crise na Europa

"Pedimos às agências de ajuda que proporcionem assistência imediata às vítimas do terremoto para evitar um desastre humanitário", afirmou o vice-porta-voz do governo do Afeganistão, Bilal Karimi. Segundo ele, várias casas foram destruídas e muitas pessoas estão presas nos destroços.

A maioria das mortes confirmadas ocorreu na província afegã oriental de Paktika, onde 255 pessoas perderam a vida e mais de 200 ficaram feridas. Na província de Khost, 25 pessoas morreram e 90 foram levadas ao hospital.

Porém, o número de mortos pode aumentar, considerando que algumas das aldeias estão em áreas remotas nas montanhas e levará algum tempo para coletar detalhes. 

O tremor também foi sentido no Paquistão e na Índia, mas não há relatos imediatos de danos ou vítimas nesses países.

Palavras-chave

Mundo
.

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO