HMP Bronzefield: conheça a penitenciária onde está brasileira acusada de perseguir Harry Styles

Myra Carvalho, 35 anos, está há cerca de um mês na prisão feminina inglesa

Lívia Ximenes
fonte

Myra Carvalho, brasileira de 35 anos, foi acusada de perseguir o cantor britânico Harry Styles e está na penitenciária feminina HMP Bronzefield, na Inglaterra, desde o final de janeiro de 2024. A brasileira enviou oito mil cartas em um mês ao artista, sendo duas delas entregues em mãos.

VEJA MAIS

image Brasileira é presa por enviar mais de 8 mil cartas a Harry Styles
Sob a acusação de perseguição, Myra Carvalho está presa na Inglaterra e aguarda uma nova audiência sobre o caso

image 'The Idea of You': Novo filme de Anne Hathaway é inspirado em Harry Styles
Longa, que chega ao Prime Video em 2024, teve suas primeiras imagens divulgadas

image Sorriso de Harry Styles é escolhido como o 'mais impressionante do mundo'
O artista foi eleito por uma junta de dentistas o dono do sorriso mais atraente por conta de sua 'simetria ideal'

HMP Bronzefield é uma prisão feminina para jovens e adultas infratoras. O local tem capacidade para 572 mulheres e é uma das maiores penitenciárias do país. Em funcionamento desde 2004, o espaço foi direcionado ao atendimento de detentas da região sul da Inglaterra.

No site oficial de HMP Bronzefield, é informado que “cada ala possui uma unidade de atendimento para as mulheres pegarem seus alimentos, que podem optar por comer juntas na ala ou levar para suas celas”. A descrição do local também diz que telefones são disponibilizados nos quartos para as detentas manterem contato com familiares. A penitenciária também possui centro de saúde com 17 leitos e unidade para mães e bebês de até 18 meses, a capacidade de atendimento simultâneo é de 12 mulheres e 13 crianças.

image Penitenciária HMP Bronzefield, na Inglaterra (Divulgação)

As detentas seguem uma rotina de horários das 8h às 18h30. Pela manhã, às 8h, elas são liberadas das celas para o café da manhã. Aproximadamente às 9h, as custodiadas iniciam o trabalho na prisão, que pode ser como cabeleireira, barista, cozinheira, faxineira e artista, por exemplo. Das 12h às 14h, elas fazem intervalo para almoço e, depois, retornam ao serviço. As presas retornam às alas às 16h30 e jantam. Às 18h45, elas são trancadas nas celas.

O direito recebido no trabalho pode ser gasto com produtos de higiene pessoal, alimentação, artigos de papelaria e itens da cantina. Os familiares podem colaborar com até £ 50 por vez, o que equivale a, aproximadamente, R$ 311.

VEJA MAIS

[[(standard.Article) Edu Guedes comenta sobre o relacionamento de Ana Hickmann e Alexandre Correa e pedido de prisão]]

image Homem suspeito de estuprar a própria filha e manter família em cárcere é preso, em Moju
Conforme as informações policiais, a prisão do suspeito foi realizada na terça-feira (20), próximo à vila São Sebastião, nordeste paraense

image Agente de trânsito acusado de feminicídio é condenado a 20 anos de prisão, em Belém
A justiça também determinou a exoneração de Diógenes dos Santos Samaritano do cargo que ocupava no Detran-PA

Durante as primeiras noites em HMP Bronzefield, a detenta é recepcionada por uma equipe para atender às necessidades dela, com suporte médico e alimentação. A custodiada também recebe orientação sobre a vida na penitenciária e suporte educacional, conforme a demanda. Ela também tem a oportunidade de ser ouvida, caso precise falar com alguém.

Saiba mais sobre o caso da brasileira presa por perseguir Harry Styles

Entre as oito mil cartas mandadas por Myra Carvalho a Harry Styles, manuscritas e digitais, estavam cartões de casamento, segundo os promotores. A brasileira estava hospedada em um albergue em Earl Court, Londres, e sua família não sabia que ela estava viajando. A informação é do jornal The Independent.

Detida há cerca de um mês, Myra foi acusada de assediar o artista, que precisou mudar atividades da rotina devido à perseguição - de acordo com o jornal Daily Mail.

Uma audiência foi realizada nesta terça-feira, 20, por meio de videochamada diretamente da prisão. A advogada de Myra, Clementine Simon, alegou que a brasileira estava em “episódio maníaco” e questionou a aptidão da cliente em responder judicialmente. Os pais da acusada estavam no tribunal e se emocionaram.

Na ocasião, Myra apenas confirmou o nome e não fez apelos. O caso será ouvido pelo tribunal novamente em 19 de abril, conforme decisão da juíza Karim Ezzat. A brasileira permanece detida até o dia determinado pela juíza.

(*Lívia Ximenes, estagiária sob supervisão da coordenadora de Oliberal.com, Heloá Canali)

Entre no nosso grupo de notícias no WhatsApp e Telegram 📱
Mundo
.
Ícone cancelar

Desculpe pela interrupção. Detectamos que você possui um bloqueador de anúncios ativo!

Oferecemos notícia e informação de graça, mas produzir conteúdo de qualidade não é.

Os anúncios são uma forma de garantir a receita do portal e o pagamento dos profissionais envolvidos.

Por favor, desative ou remova o bloqueador de anúncios do seu navegador para continuar sua navegação sem interrupções. Obrigado!

RELACIONADAS EM MUNDO

MAIS LIDAS EM MUNDO